Navegue:
Tensão na Ucrânia, ata do Fed e balanços corporativos marcaram a semana; veja os destaques

Tensão na Ucrânia, ata do Fed e balanços corporativos marcaram a semana; veja os destaques

Ibovespa chegou a bater maior sequência de altas desde meados de 2021, mas fechou semana no vermelho

Gráfico do mercado com moedas

Foto: Shutterstock

Por:

Gustavo Nicoletta

Compartilhe:

Por:

Gustavo Nicoletta

A tensão entre a Ucrânia e a Rússia continuou no topo da lista de preocupações do mercado financeiro global na última semana e como um dos principais fatores por trás da alta nos preços do petróleo e de algumas outras commodities, como o ouro.

Importou mais, inclusive, que a discussão do banco central dos Estados Unidos sobre os juros no país. A ata da última reunião do Fed (Federal Reserve), divulgada na quarta-feira (16), reduziu as apostas de uma decisão mais austera em março, sem grandes efeitos sobre as bolsas.

No Brasil, que segue no centro das atenções de investidores estrangeiros interessados em investir em mercados emergentes, a semana foi relativamente positiva – pelo menos até quarta, quando o Ibovespa concluiu uma sequência de sete pregões seguidos de alta, algo que não acontecia desde meados de 2021.

Na quinta e na sexta-feira, a Bolsa brasileira fechou em baixa – com queda de 0,61% na semana -, mas não apagou o brilho de alguns desempenhos estelares de certas empresas nos últimos dias.

Entre as surpresas, estiveram o resultado acima do esperado do Banco do Brasil (sem a piora da inadimplência que atingiu os concorrentes), o bom desempenho do Carrefour no quarto trimestre a despeito da queda no poder de compra da população e a disparada nas ações da Cielo, após a empresa vender seu braço de operações nos Estados Unidos.

Veja os destaques do noticiário da Agência TradeMap na semana:

  • UBS espera preço elevado para o petróleo com ou sem tensão na Ucrânia

A perspectiva de negociações diplomáticas para evitar um conflito armado entre Ucrânia e Rússia fez os preços do petróleo caírem na sexta-feira, mas, no médio prazo, a tendência ainda é de alta da commodity, segundo o UBS. O banco elevou a projeção para o preço do petróleo tipo Brent para US$ 95 por barril até junho e US$ 100 por barril, até dezembro.

“Alocações em commodities e estoques de energia são uma opção atraente, em nossa opinião, para ajudar os investidores a protegerem os riscos da carteira. Os preços da energia provavelmente subiriam no caso de uma escalada na situação, e independentemente da situação na Ucrânia, esperamos que os preços do petróleo subam ainda mais este ano graças ao aumento demanda e oferta um pouco restrita”, diz o banco.

  • Três elementos atraem investidor “gringo” ao Brasil

O cenário mais claro para os juros, a Bolsa relativamente barata e as tensões geopolíticas em outros países emergentes tornam o Brasil um destino atraente para os investidores estrangeiros, segundo Cesar Mikail, gestor de renda variável da Western Asset. A instituição gerencia US$ 494 bilhões em ativos mundialmente.

O fluxo de investimento estrangeiro no mercado brasileiro, que vem subindo desde outubro do ano passado, disparou em janeiro deste ano, quando R$ 28 bilhões vindos do exterior entraram no Brasil. E é este fluxo que tem sustentado o Ibovespa.

  • Ata do Fed faz mercado reduzir previsão para alta nos juros

O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, reforçou que será mais duro em sua tentativa de conter a inflação no país se a alta dos preços for mais resistente que o previsto, mas que fará isso modulando a velocidade de alta dos juros, e não a magnitude destes aumentos.

O efeito do documento sobre o mercado, porém, foi pequeno, dada a falta de sinalização clara sobre os próximos passos da instituição. O efeito mais visível foi alterar o balanço das apostas de alta de juros em março – antes, havia uma pequena maioria esperando elevação de 0,50 ponto porcentual (pp). Agora, a aposta majoritária é de um aumento de 0,25 pp.

  • Banco do Brasil supera previsão de lucro sem elevar inadimplência

A instituição teve lucro líquido ajustado de R$ 5,9 bilhões no quarto trimestre de 2021, alta de 60,5% em relação a igual período do ano anterior, com aumento de 17,8% na carteira de crédito, a R$ 874,9 bilhões.

Isso aconteceu sem aumento da inadimplência, contrariando a tendência vista nos balanços de outros grandes bancos. Os empréstimos com atraso acima de 90 dias no pagamento atingiram apenas 1,75% da carteira de crédito. A média do mercado é de aproximadamente 2,3%.

  • Pix retira R$ 1,5 bilhão em receitas de bancões em 2021

Em 2021, o primeiro ano completo desde o início da operação do Pix, os quatro maiores bancos listados na Bolsa – Bradesco, Itaú Unibanco, Banco do Brasil e Santander – perderam, juntos, R$ 1,5 bilhão em receitas com serviços de conta corrente oferecidos a seus clientes, de acordo com balanços publicados nos últimos dias. 

O resultado contrasta com o desempenho dos bancos com receitas que englobam qualquer tipo de serviços, não apenas os de conta corrente. Nesse critério mais amplo, as quatro instituições somaram R$ 121,9 bilhões em faturamento em 2021, crescimento de 5,9% sobre o número de 2020. 

  • TCU abre caminho para privatização da Eletrobras

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou a modelagem econômico-financeira referente à operação, em sessão extraordinária. A próxima etapa do processo será a realização da assembleia geral extraordinária da Eletrobras, marcada para a próxima terça-feira (22).

A privatização está prevista para o primeiro semestre. Especialistas acreditam que o fim do controle estatal sobre a empresa deve destravar o valor das ações, mas também consideram que o processo pode atrasar.

  • Conta PJ: confira como encontrar a melhor opção para o seu negócio

A hora de empreender é cercada de burocracias e uma delas é fazer a escolha da conta corrente da empresa. Para economizar nessa despesa, a solução é verificar quais rotinas bancárias serão mais utilizadas e contratar um pacote de serviços adequado a essa necessidade.

O empreendedor consegue encontrar pacotes de serviços básicos isentos até tarifas de mais de R$ 70. É importante observar não só o custo, mas também o que o pacote oferece e o valor dos serviços avulsos.

Agenda da próxima semana

Para os próximos dias, no Brasil, os indicadores mais relevantes serão referentes à inflação de fevereiro (com IPCA-15 na quarta-feira e IGP-M, na sexta), além de pesquisas sobre a confiança do consumidor e dos empresários, que serão publicadas pela FGV (Fundação Getulio Vargas) de terça até sexta-feira.

Vale mencionar que o Senado deve colocar em discussão projetos para baixar o preço dos combustíveis na próxima quarta-feira, e que a proposta dos senadores para reforma tributária será formalmente apresentada à Comissão de Constituição e Justiça no mesmo dia, com votação prevista para depois do Carnaval.

Na safra coporativa, Petrobras divulga o resultado do quarto trimestre de 2021 na quinta-feira à noite, e Ambev e Vale, na sexta-feira.

No exterior, as bolsas americanas estarão fechadas na segunda-feira (21) por causa do feriado do Dia do Presidente. Na semana, atenção para a publicação de dados de inflação da zona do euro, na quarta-feira, e dos Estados Unidos, na sexta.

Compartilhe:

Compartilhe: