Como funciona o processo de abertura e fechamento de capital?

pilhas de moedas

As empresas que negociam seus ativos em bolsas de valores são consideradas companhias de capital aberto, ou seja, qualquer pessoa pode comprar uma parte dela e se tornar, assim, um acionista.

Mas, da mesma forma, ela também pode optar pelo caminho inverso e decidir voltar a ter capital fechado.

Para isso, os dois caminhos necessitam de estudos e processos. Neste artigo, vamos analisar toda estrutura de abertura e fechamento de capital. Veja só:

  • O que é IPO?
  • Como é o processo de abertura de capital?
  • Como é feita a distribuição?
  • Como funciona o IPO para os investidores?
  • Vale a pena abrir capital?
  • Quais são as despesas para a empresa que decide abrir capital?
  • Como funciona o processo de fechamento de capital?
O que é IPO?

A oferta pública inicial, ou conhecido com IPO (Initial Public Offering, na sigla em inglês), consiste no primeiro passo de uma companhia para adentrar no mercado de capitais.

O primeiro procedimento formal para a empresa abrir capital é protocolar um pedido de registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) – órgão regulador e fiscalizador.

Entretanto, para que a companhia passe a negociar seus papéis e outros valores mobiliários é necessário uma solicitação de listagem na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), a bolsa de valores brasileira.

Vale lembrar que a abertura de capital pode ocorrer com ou sem oferta de ações no mercado! Caso a companhia opte por negociar seus papéis é necessário que ela escolha um dos segmentos de governança corporativa: Nível 1, Nível 2, Novo Mercado e Bovespa Mais.

O TradeMap já preparou um artigo sobre esses segmentos! Clique aqui para saber mais informações.

Como é o processo de abertura de capital?

Em geral, o processo de abertura de capital leva, em média, 10 semanas (de acordo com informações da B3). Para isso, o procedimento começa assim que a empresa realiza essas três ações abaixo:

Infográfico: TradeMap
Infográfico: TradeMap

Uma vez que foi montada a equipe, agora é preciso juntar informações financeiras. Este passo inclui identificação de áreas onde o fluxo do caixa pode ser acrescido.

Depois desse passo, a empresa deve montar:

  • Prospecto
  • Contratos de transição
  • Auditoria

Por fim, ela deposita seu prospecto junto à CVM, emite comunicado ao mercado – com a quantidade de ações ofertadas, data de precificação, negociação na bolsa e outras informações relevantes – e vende seus papéis aos investidores interessados.

Como é feita a distribuição?

No mercado de capitais existem duas distribuições:

  • Distribuição primária: a companhia emite e vende novas ações ao mercado e, por isso, os recursos obtidos vão direto para o caixa da empresa
  • Distribuição secundária: alguém que já detenha certa quantidade de ações da companhia e queira se desfazer delas, portanto o dinheiro levantado vai para o proprietário
Como funciona o IPO para os investidores?

Quem tiver interesse em comprar os ativos deve passar por alguns processos. Assim que a empresa divulga o prospecto e aviso ao mercado, ela marcará uma data de reserva para as suas ações.

Nesta etapa, o investidor tem que preencher, por meio de alguma corretora, o valor que gostaria de adquirir.

Entretanto, o procedimento de bookbuilding e fixação do preço dos papéis terminam às vésperas do IPO. Por isso, a solicitação deve ser feita em dinheiro, e não pela quantidade dos ativos. Quer ver um exemplo? Então vamos nessa!

Imagine que o sr. José tem interesse em comprar R$ 10 mil em ações da empresa TradeMap e, por isso, ele faz uma solicitação à corretora de valores para reservar essa quantia no IPO da companhia. Até aí tudo bem, certo?

Bom, após o TradeMap encerrar o período de reserva, o próximo passo é definir o preço por ação em sua oferta. Caso a companhia chegue a um valor de R$ 25 por ativo, logo o sr. José vai deter 400 ações:

Infográfico desenvolvido por TradeMap
Infográfico: TradeMap

É bom lembrar que após o período de reserva, o investidor não poderá mais desistir do negócio. Então salientamos que você tenha total certeza sobre a operação, hein!

Vale a pena abrir capital?

Temos que ter em mente que a partir do momento em que a empresa opta por abrir capital logo ela ampliará seu quadro de sócios.

Existe uma relação entre os investidores com a companhia, pois, além de se tornarem parceiros de negócios, também passam a ser proprietários de uma certa parcela da empresa.

De acordo com a B3, a abertura de capital representa redução de risco de crédito para a empresa.

Os recursos dos sócios investidores não têm prazo de amortização ou resgate, da mesma forma do dinheiro que o empresário colocou no empreendimento.

Também, diferentemente de empréstimos, não exigem rendimento definido: o retorno dos investidores depende do desempenho da empresa na bolsa de valores.

Além disso, também existem outros benefícios para a companhia:

  • Liquidez patrimonial
  • Processo sucessório e de partilha de liderança
  • Visibilidade ao ser regulamentada
  • Projeção e reconhecimento dos públicos
Quais são as despesas para a empresa que decide abrir capital?

Ao decidir abrir capital, a empresa terá custos com contratação de auditoria externa, preparação de documentos publicações legais, confecção de prospecto, comissão da instituição financeira e processo de marketing.

Também é possível contratar uma empresa de consultoria para auxiliar na definição do plano de abertura de capital, além da organização interna e na avaliação preliminar da companhia.

Por isso, as despesas estão atreladas ao grau de complexidade de cada empresa, certo?

Bom, agora que já foi explicado o que é IPO e as principais características do processo de abertura de capital, seguimos para a etapa inversa:

Como funciona o processo de fechamento de capital?

Assim como uma empresa decide abrir capital, ela também pode fazer o processo inverso e encerrar suas atividades no mercado aberto.

Isso significa que a companhia deixará de negociar seus ativos na bolsa de valores e voltará a ser privada.

A OPA, ou conhecida como oferta pública de aquisição, nada mais é do que quando a companhia deseja sair do mercado de capitais.

O acionista controlador precisa chegar a um acordo para oferecer aos demais investidores minoritários para, assim, garantir a compra do restante dos papéis no mercado.

A CVM entende que o preço justo estimado pela companhia deverá ser realizado por meio de um lado feito por alguma empresa externa com conhecimento na área.

 

Gostou do artigo? Então deixe seu comentário abaixo e participe desse texto também! Até a próxima, investidor!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp