O que é a bolsa de valores e como ela funciona?

Dúvidas sobre o mercado financeiro
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

À primeira vista, a tal da bolsa de valores pode ser um verdadeiro bicho de sete cabeças para muitas pessoas. Afinal de contas, quando se trata de mercado financeiro, há um velho dilema de que só as pessoas endinheiradas podem investir e, assim, garantir o pão para as futuras gerações.

→ Leia também: Como começar a investir no mercado financeiro?





Mas toda essa história é conversa fiada, viu? A bolsa de valores tem um conceito muito mais simples do que você pensa e, na prática, não é muito diferente disso.

Chegou a hora de aprender de vez o que é a bolsa e suas principais características! Vamos nessa?

  • O que é a bolsa de valores?
  • Como ela funciona?
  • Para que uma empresa abre capital?
  • Posso enviar ordens de mercado pelo TradeMap?

O que é a bolsa de valores?

Assim como comentado no início deste artigo, a bolsa de valores tem um conceito bem simples: ela é um ambiente onde são negociados vários tipos de investimentos, que podem ser ações, títulos de renda fixa, fundos de investimento, opções, ETFs, BDRs e por aí vai – são muitos! Veja aqui todos eles ou saiba mais detalhes no vídeo que o Breno Perrucho preparou para o nosso canal.

Leia também:   Relatório: setor aéreo

Aqui no Brasil temos a Bolsa de Valores de São Paulo, ou conhecida mais popularmente como B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), que é a empresa que administra o mercado de capitais brasileiro. Ela é um fruto da fusão realizada em 2017 entre a BM&F Bovespa e a Cetip.

De forma geral, a bolsa permite ao investidor negociar diferentes investimentos, além de oferecer a organização e segurança dessas operações.

Com isso, os investidores podem comprar ou vender títulos emitidos por companhias listadas nela – que podem ser de capitais públicos, mistos ou privados.





Lembrando que essas operações devem ser feitas por intermédio de corretoras. Elas funcionam como uma “ponte” entre o investidor e a bolsa, levando as ordens de envio. Veja o exemplo abaixo:

Em um super mercado, por exemplo, geralmente você pega um carrinho para colocar os produtos que vai levar para casa, certo? Você vai enchendo de mercadoria e, no final, leva até ao caixa para pagar e empacotar tudo.

O carrinho nada mais é do que a corretora, enquanto o mercado em si é a bolsa de valores.

Como funciona a bolsa?

Para entender como funciona a bolsa é necessário ter um conhecimento básico sobre o universo das ações. Acesse aqui para ler nosso artigo e entender o que são elas.

Leia também:   Relatório: setor aéreo

Partindo do início, tudo começa quando uma empresa decide abrir capital na bolsa de valores. Isso ocorre por meio do chamado IPO (sigla em inglês para initial public offering), ou oferta pública inicial (de ações, neste caso). Este é o primeiro passo para que a companhia passe a negociar seus papéis e é denominado mercado primário.

Após essa etapa, o investidor que comprou os ativos ofertados pela companhia pode vendê-los para outros investidores e, assim, continuar o ciclo de volatilidade.

Basicamente, a bolsa funciona com diversas ordens de compra e de venda que ocorrem durante todo pregão.

As principais bolsas de valores do mundo negociam de forma online, pelo Home Broker ou Multibroker (veja mais detalhes no final do artigo).





Horário

Outro ponto importante sobre a bolsa é o horário de funcionamento. Afinal de contas, não é a casa da mãe Joana. Ele é mais conhecido como pregão ou sessão.

São quatro etapas: pré-abertura, negociação, call de fechamento e after market. Saiba aqui mais detalhes sobre o horário da B3.

Mas para que uma companhia abre capital na bolsa?

Existem três formas de uma empresa financiar seus projetos:

  • Utilizar o dinheiro do próprio caixa
  • Pegar um valor emprestado de alguma instituição financeira
  • Vender uma parte de seu patrimônio
Leia também:   Relatório: setor aéreo

Quando uma companhia atinge certo tamanho, o mais vantajoso acaba sendo vender uma fração de seu capital, conhecida como ação, ativo ou papel.

Dessa forma, o investidor que comprar os papéis da empresa vai se tornar um sócio e receberá parte do lucro da companhia, os chamados dividendos.

Cada companhia listada na B3 tem o dever de repartir, pelo menos, 25% do lucro com os seus acionistas, conforme um conjunto de normas da CVM. A divisão ocorre de forma proporcional à quantidade que cada investidor possui em ativos. Para saber mais informações sobre proventos, veja o texto que preparamos aqui no blog.

Posso enviar ordens de mercado pelo TradeMap?

Sim. Além de acompanhar os papéis das bolsas brasileira e dos Estados Unidos, também é possível enviar ordens reais pelo Multibroker do TradeMap – tudo em um só lugar!





O Multibroker permite ao investidor conectar com uma ou mais corretoras parceiras do TradeMap. Dessa forma, com a ferramenta, as ordens de mercado podem ser enviadas por uma única plataforma, ao mesmo tempo em que o usuário acompanha e gerencia seus investimentos.

Para saber como enviar as ordens pelo Multibroker, assista o vídeo abaixo:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais