Navegue:
Ibovespa perde fôlego e fecha em leve alta com escalada de tensões no leste europeu

Ibovespa perde fôlego e fecha em leve alta com escalada de tensões no leste europeu

Índice fechou com avanço de 0,18%, aos 113.572 pontos

B3 Divulgacao 4 1

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

Depois de passar o dia no positivo, chegando a subir 1,53% na máxima do pregão, o Ibovespa perdeu fôlego no fim da tarde desta sexta-feira (11), refletindo a escalada das tensões entre a Rússia e a Ucrânia, que pressionou ações de grande peso, como a Vale.

Depois de momentos no vermelho, o principal índice da Bolsa de valores brasileira teve alta de 0,18%, aos 113.572 pontos, com R$ 35,93 bilhões em volume negociado. Na semana, o saldo seguiu sendo de alta de 1,18%. Desde o início de 2022, o Ibovespa acumula valorização de 8,35%, e de 1,49% desde o começo de fevereiro.

Clima esquenta no leste europeu

Não só o Ibovespa, mas as Bolsas ao redor do mundo foram derrubadas pela informação de que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, já teria tomado a decisão de invadir a Ucrânia, tendo inclusive comunicado essa resolução às forças armadas. Em Nova York, o S&P 500 teve baixa de 1,96%, o Dow Jones caiu 1,43% e o Nasdaq recuou 2,78%.

De acordo com a agência de notícias Reuters, imagens de satélite de uma empresa privada americana mostraram novas tropas militares russas em diversos lugares próximos à fronteira com a Ucrânia. Estados Unidos e Reino Unido já alertaram seus cidadãos para deixarem o país.

“Não podemos dizer o dia e a hora, mas podemos dizer que há perspectiva confiável de que a ação militar da Rússia aconteceria antes mesmo do fim das Olimpíadas de inverno na China [que terminam em 20 de fevereiro]”, afirmou Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, em coletiva de imprensa.

Os EUA e a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) ameaçam impor sanções econômicas relevantes sobre a nação liderada por Vladimir Putin caso haja uma invasão à Ucrânia. A Rússia, por sua vez, faz parte dos países aliados da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e também é uma grande exportadora de gás à Europa.

A simples possibilidade da interferência americana num potencial conflito entre os russos e ucranianos – e de efeitos secundários disso sobre os preços do petróleo e de outros ativos relacionados à energia no mercado internacional – têm forçado o barril de petróleo do tipo Brent a permanecer acima de US$ 90 desde o final de janeiro, maior patamar desde 2014.

O aumento da tensão causou uma disparada nos preços do petróleo. O Brent fechou com avanço de 3,31%, a US$ 94,44, enquanto o WTI teve ganhos de 3,58%, a US$ 93,10.

Com isso, as petroleiras, que já vinham em alta, passaram para a liderança do Ibovespa, ajudando a limitar as perdas do índice. As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) subiram 3,75%; as ordinárias (PETR3), 4,49%; enquanto PetroRio (PRIO3) teve ganhos de 4,24%.

Além da alta nos preços das commodities, as petroleiras brasileiras se beneficiam da perspectiva de que a região possa ter dificuldade de explorar seus campos de petróleo, o que as beneficiaria. Além disso, possíveis sanções podem limitar a exportação pela Rússia, abrindo espaço para as brasileiras.

Na outra ponta, as mineradoras e siderúrgicas, que já operavam no campo negativo seguindo a queda do minério de ferro e o resultado pior do que o esperado da Usiminas, ampliaram as perdas. Vale (VALE3) caiu 2,02%, enquanto CSN Mineração (CMIN3) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4) tiveram baixas de 3,93% e 2,92%, respectivamente.

Destaques do pregão

À frente de Petrobras e PetroRio, a maior alta do Ibovespa no fechamento desta sexta era de Itaú (ITUB4), que ganhou 5,91%.

A alta do Itaú veio depois da divulgação do balanço, que mostrou que o banco encerrou o último trimestre do ano passado com lucro líquido recorrente de R$ 7,159 bilhões, alta de 32,9% em relação a igual período do ano anterior. Em relação ao terceiro trimestre, houve avanço de 5,6%. O setor de bancos veio na esteira do Itaú, com Banco do Brasil ((BAS3) subindo 3,5%; Santander (SANB11), 1,55%; e Bradesco (BBDC4), 0,33%.

A Alpargatas (ALPA4) também ficou entre as maiores altas do dia, com avanço de 1,84%, depois de reportar que seu lucro aumentou quase cinco vezes no quarto trimestre de 2021 em relação a um ano antes, para R$ 303 milhões, impulsionada por um aumento na receita e pela redução das despesas da companhia. Além disso, a empresa comunicou que fará uma nova oferta de ações, cujos recursos serão usados para custear a compra de uma participação societária na Rothy’s.

Outra empresa que reagiu positivamente ao balanço foi a Multiplan (MULT3), com alta de 1,54%, depois de divulgar que lucrou R$ 214 milhões no quarto trimestre de 2021, resultado 50,1% superior ao registrado nos mesmos três meses de 2019 – período anterior ao surgimento da Covid-19 por aqui, e que portanto antecedeu o momento em que as autoridades impediram o funcionamento de shoppings e de outras atividades para combater a disseminação da doença.

Na ponta negativa, as principais quedas do Ibovespa eram de Magazine Luiza (MGLU3), Usiminas (USIM5) e Azul (AZUL4), com perdas de 8,5%, 7,45% e 5,84%, respectivamente.

Para Felipe Kulchetscki, fundador e CEO da JFK Investimentos, os números reportados pelo setor financeiro podem estar pesando sobre as empresas varejistas. “Os dados divulgados recentemente pelos bancos mostram que os números de inadimplência seguem altos. Isso impacta diretamente o varejo, principalmente Magazine Luiza e Via Varejo”, afirma.

A Usiminas, por sua vez, caiu depois de seus resultados. Com crescimento de 53% em relação aos três meses finais de 2020, o Ebitda reportado pela companha, de R$ 1,8 bilhão, decepcionou e muito as expectativas do mercado, devido principalmente ao aumento no custo de produção do aço e a preços de minério de ferro menores do que o esperado.

Polêmica dos combustíveis segue a todo vapor

Em dados econômicos, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) mostrou uma expansão de dezembro em relação a novembro, com o impulso do volume de serviços e indústria, segundo dados divulgados pelo BC. No acumulado do ano, o indicador registrou um avanço de 4,5%.

O crescimento apresentado em dezembro, porém, veio abaixo do esperado por analistas. A expectativa era de um aumento de 0,60%, segundo estimativas de especialistas ouvidos pela Broadcast, da Agência Estado.

O indicador é importante pois mede a atividade econômica mensal do país, ajudando o Banco Central a determinar o rumo da política monetária.

Em Brasília, um dia depois da manifestação do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, o presidente da Câmara, Arthur Lira, também defendeu que a proposta de redução dos impostos federais sobre o diesel seja incluída no projeto de lei complementar que trata do ICMS sobre os combustíveis no Senado.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, afirmou durante live na noite de ontem que ainda tem confiança na aprovação da PEC dos combustíveis na Câmara, que permitiria a desoneração de impostos federais e estaduais sem compensação.

Compartilhe:

Compartilhe: