Navegue:
Acima do esperado, prévia da inflação tem alta de 0,72% em julho

Acima do esperado, prévia da inflação tem alta de 0,72% em julho

O resultado ficou acima do esperado pelos analistas consultados pela Refinitiv, que projetavam expansão de 0,64% no comparativo mensal

Energia Pixabay
Por:

Compartilhe:

Por:

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), a prévia da inflação do Brasil, subiu 0,72% na passagem de junho para julho deste ano, sendo a maior alta para o mês desde 2004, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira, 23, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No ano, o indicador acumula acréscimo de 4,88% e, em 12 meses, avanço de 8,59%. Em julho de 2020, a variação havia sido de 0,30%.

Com isso, o resultado ficou acima do esperado pelos analistas consultados pela Refinitiv, que projetavam expansão de 0,64% no comparativo mensal e de 8,50% na base anual.

A entidade aponta que a energia elétrica foi o maior impacto individual, responsável por 0,21% no índice. No mês passado, a bandeira tarifária vermelha patamar 2 entrou em vigor, a alta foi de 3,85%.

Segundo o IBGE, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete tiveram alta de preços em julho.

O maior impacto (0,33 p.p.) e a maior variação (2,14%) vieram de habitação. Já a segunda maior contribuição veio dos transportes (1,07% e 0,22 p.p.), embora tenha desacelerado em relação ao mês anterior (1,35%).

Na sequência, veio alimentação e bebidas (0,49%), cujo resultado ficou acima do IPCA-15 de junho (0,41%) e contribuiu com 0,10 p.p. no índice do mês.

O grupo saúde e cuidados pessoais (-0,24%), por sua vez, apresentou queda em relação ao mês anterior e contribuiu com -0,03 p.p. no índice geral. Os demais grupos ficaram entre o -0,04% de comunicação e o 0,81% de artigos de residência.

Para ler o relatório completo do IBGE, acesse aqui.

Foto: Pixabay

Compartilhe: