Opep+ cobra por maior adesão a cortes de oferta, diz agência

Opep, foto de Leonhard Foeger/Reuters

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) pressionou na última quinta-feira, 19, as nações pertencentes ao grupo por uma maior adesão aos cortes de produção de petróleo, como o Iraque e Cazaquistão. As informações são da agência Reuters.

Além do mais, a Opep+ também deixou as portas abertas tanto para a extensão quanto para a flexibilização das reduções de oferta a partir de agosto.

O painel, conhecido como Comitê Conjunto de Monitoramento Ministerial (JMMC, na sigla em inglês), assessora a Opep+ e voltará a se reunir em 15 de julho, quando deve recomendar o próximo nível dos cortes de bombeamento em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Vale lembrar que a Opep+ tem reduzido a produção de petróleo desde a crise na demanda do produto provocada por medidas de isolamento social. O grupo já cortou a oferta em um nível recorde de 9,7 milhões de barris por dia (bpd), o que representa 10% da commodity ofertada mundialmente.

Segundo a Reuters, depois de julho, os cortes devem ser afrouxados para 7,7 milhões de bpd até o final de 2020.

Foto: Leonhard Foeger/Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp