Renner lucra R$ 193,1 milhões no segundo trimestre, queda de 76,4%

Segundo a varejista, essa redução ocorreu por conta da recuperação de crédito fiscal relacionado ao PIS e a Cofins no 2º trimestre do ano passado

Renner/Divulgação
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

A Lojas Renner reportou um lucro líquido de R$ 193,1 milhões durante o segundo trimestre de 2021, o que representa uma queda de 76,4% em comparação ao mesmo intervalo de 2020, quando havia lucrado R$ 818,1 milhões.

Segundo a varejista, essa redução ocorreu por conta da recuperação de crédito fiscal relacionado ao PIS e a Cofins no 2º trimestre do ano passado.



Em bases comparáveis, o resultado foi 184,7% superior frente há um ano, em função, principalmente, do maior resultado operacional.

Sua receita líquida de venda de mercadorias chegou à casa dos R$ 2,26 bilhões, elevação de 318% em um ano e 11,8% maior do que o faturamento obtido no segundo trimestre de 2019.

Leia também:   Equatorial compra fatias restantes da Solenergias e Helios e passa a deter a totalidade do capital das empresas

As vendas em mesmas lojas apresentaram crescimento de 308,6% e de 5,1%, se levarmos em consideração o resultado do 2T20 e 2T19, respectivamente.



No período, as vendas digitais (GMV) somaram R$ 414,5 milhões, cifra 66,5% superior ante os R$ 248,9 milhões registrados um ano antes. Já em comparação ao 2º trimestre de 2019, o aumento foi ainda mais expressivo, de 269,5%.

Vale destacar que a Lojas Renner tem apostado na digitalização de suas vendas. Entre abril e junho, ela iniciou o seu lab de marketplace, o que melhorou seu desempenho no campo online.

Contudo, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado, incluindo produtos financeiros e arrendamentos, ficou em R$ 330 milhões, queda de 35% em relação aos R$ 507 milhões um ano antes.

Leia também:   CCR: tráfego de veículos avança 10,3% de 1º a 7 de outubro

A margem Ebitda ajustada ficou em 14,6%, cerca de 79,4 pontos percentuais abaixo da apresentada no mesmo período do ano anterior.

De acordo com a Renner, a redução em relação ao mesmo trimestre do ano passado foi consequência do crédito fiscal reconhecido no 2º trimestre de 2020. No entanto, na comparação com o segundo trimestre de 2019, a margem Ebitda apresentou redução de 6,8 pontos percentuais.

→ Acesse a Lâmina de Empresas do TradeMap para conferir mais dados relacionados à companhia

Foto: Renner/Divulgação

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais