Negociações de bitcoins no Brasil aumentam 15,4% em maio

No mês, foram movimentados 52.595 bitcoins, cerca de R$ 12,4 bi

andre francois mckenzie JrjhtBJ pGU unsplash
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

As plataformas brasileiras de negociação de criptomoedas movimentaram 52.595 bitcoins durante o mês de maio, equivalente a aproximadamente R$ 12,4 bilhões, uma alta de 15,4% sobre mesmo período de 2020, de acordo com o Cointrader Monitor. Se comparado a 2019, o volume negociado registrou um crescimento de 21,62%. 

Enquanto isso, se a análise levar em conta o volume negociado em reais, houve um aumento de 445% sobre maio de 2020, saindo de R$ 2,27 bilhões para os atuais R$ 12,4 bilhões. 



Na comparação mensal, o volume de Bitcoins movimentados cresceu 73% em relação a abril (30.276 bitcoins) e 27,9% no volume em reais. 

Em 2021 como um todo, o volume acumulado foi de 195.537 bitcoins, ou seja, R$ 49,2 bilhões, contra os 168.890 bitcoins (R$ 6,9 bilhões) acumulados em 2020, indicando um volume acumulado em reais 7 vezes maior na comparação anual. 

Vale ressaltar que o forte crescimento do volume correspondente em reais foi resultado da valorização do bitcoin, que passou de R$ 58.041,26 em 2020 para R$ 265.187,66 em 2021. 



No período, a maior movimentação de Bitcoin foi registrada em 19 de maio, com 6.159,35 bitcoins, ultrapassando a marca de R$ 1,2 Bilhões negociados na criptomoeda. 

Do outro lado, a menor movimentação foi vista em 02 de maio, com 456 bitcoins, ou R$ 141,37 milhões. 

 Pelo terceiro mês consecutivo, a exchange (plataforma de negociação) com maior volume foi a Binance, com 19.267,83 bitcoins, uma elevação de 119% sobre abril.  

Com o resultado, a plataforma aumentou sua participação no mercado, de 29,05% em abril para 36,63% em maio. 

Ou seja, a empresa foi responsável por cerca de um terço das negociações de bitcoins no Brasil no mês em análise. 

O levantamento coletou informações nas principais exchanges nacionais e estrangeiras que atuam no país: Alterbank, B2U Pro, Binance, Biscoint, BitCambio, BitcoinToYou, BitcoinTrade, Bitnuvem, bitPreço, Bitrecife, Bitso, Blocktane, BrasilBitcoin, Braziliex, BULLGAIN, Citcoin, Coinext, CointradeCX, ComprarBitcoin, CryptoMKT, flowBTC, Foxbit, FTX, Makes Exchange, MercadoBitcoin, NovaDAX, Nox Bitcoin, PagCripto, PagCripto OTC, Stonoex, UpCâmbio, Walltime e YouBTrade. 

Foto: André François McKenzie

Leia também:   Mercado global sinaliza dia de alta; por aqui, investidores esperam por divulgação do IBC-Br

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais