Magazine Luiza reporta bons números no 3º trimestre

A varejista encerrou o terceiro trimestre com 1.237 lojas, sendo 925 convencionais, 196 virtuais e 116 quiosques

Magazine Luiza

O Magazine Luiza apresentou mais um trimestre com bons resultados. As vendas relativas aos meses de julho a setembro deste ano foram recordes, dada a retomada das operações de suas lojas e o forte crescimento do e-commerce, além das diversas aquisições de empresas de tecnologia.

→ Invista no que nunca perde valor: conhecimento! Inscreva-se no Desafio Investidor Fundamentado, com a Helô Cruz (CFA) – e sem pagar por nada!

As vendas totais (GMV) avançaram 81% em relação ao mesmo período de 2019, reflexo do forte crescimento das vendas online e a retomada das atividades nas lojas físicas, após o relaxamento social.

Nos nove primeiros meses de 2020, as vendas atingiram o valor de R$ 29 bilhões.

Ainda com alguns pontos fechados devido às restrições impostas pela pandemia, as vendas totais nas lojas físicas subiram 18% quando comparado ao mesmo intervalo de 2019.

No conceito de vendas nas mesmas lojas (SSS), o crescimento foi de 7% na mesma base de comparação. A reabertura das lojas físicas foi praticamente concluída em agosto – e ainda inaugurando mais 81 unidades pelo Brasil.

Dessa forma, o Magazine Luiza encerrou o terceiro trimestre com 1.237 lojas, sendo 925 convencionais, 196 virtuais e 116 quiosques (parceria com as Lojas Marisa).

O e-commerce continua crescendo de forma exponencial. No período em análise, as vendas digitais aumentaram 148%, já considerando a Netshoes na base de comparação. O Superapp e o Magalu Pay também vêm se destacando, com forte elevação nos números.

A receita de serviços expandiu 60% durante o 3T20, especialmente devido ao crescimento do Marketplace e do Magalu Pagamentos. Assim, a receita líquida do período ficou 70,9% maior em relação ao terceiro trimestre do ano passado.

Por outro lado, a margem bruta caiu 4,4 pontos percentuais, ficando em 26,2%. De acordo com a varejista, a queda foi influenciada, principalmente, pela maior participação do e-commerce tradicional (1P) nas vendas.

Magazine Luiza 3T20
Fonte: Magazine Luiza

Nos nove primeiros meses do ano, a companhia registrou 40.000 sellers dentro de sua plataforma de marketplace.

Outro destaque positivo foi o crescimento do sistema Retira Loja, após a reabertura dos pontos físicos, conseguindo até mesmo diluir as despesas com vendas mesmo investindo em maior nível de serviço, especialmente em atendimento e logística.

Já outro ponto importante para a varejista no 3º trimestre foi a alta do marketshare, com avanço de 5,4 pontos percentuais na comparação anual.

A companhia conseguiu chegar ao final do período com forte aumento de vendas e uma geração de caixa capaz de suportar o seu novo ciclo de negócios.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado teve elevação. Contudo, os investimentos em nível de serviço influenciaram negativamente a margem Ebitda ajustada, que passou de 8,2% para 6,8% no comparativo anual.

Por fim, o lucro líquido ajustado do Magazine Luiza atingiu R$ 216 milhões, com margem de 2,6 pontos percentuais.

Para o próximo trimestre, a varejista espera a continuidade do crescimento de sua receita, estando entusiasmada com os principais eventos do ano – Black Friday e Natal.

banner curso helo 4

Foto: Magazine Luiza/Divulgação

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp