Fórum Econômico Mundial de 2021 é cancelado

Com agravamento da pandemia do coronavírus no mundo, o evento foi postergado para o primeiro semestre de 2022.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O Fórum Econômico Mundial, também conhecido como Fórum de Davos, cancelou a reunião anual de 2021 marcada para agosto, em Cingapura. 

De acordo com o comunicado da organização, publicado nesta segunda-feira, 17, o avanço da pandemia em muitos países e o risco de aglomeração em um encontro mundial, como o Fórum, inviabilizam o evento neste ano. 





“Lamentavelmente, as circunstâncias trágicas que se desenrolam em todas as geografias, uma perspectiva de viagem incerta, diferentes velocidades de implementação da vacinação e a incerteza em torno de novas variantes se juntam, tornando impossível a realização de uma reunião global com líderes empresariais, governamentais e da sociedade civil de todo o mundo na escala em que foi planejada”, diz o comunicado.

Em circunstâncias normais, o Fórum de Davos é um evento anual, que acontece em janeiro, na cidade suíça de Davos, há 50 anos. Porém, em 2021, o encontro foi adiado duas vezes por conta das complicações da pandemia, primeiro para maio e depois para agosto, com transferência de Davos para Cingapura. 

Com o cancelamento definitivo, a próxima reunião deve acontecer somente no primeiro semestre de 2022.

A localização e data serão definidas no final do verão do hemisfério norte, após uma avaliação da pandemia, de acordo com comunicado.

“Foi uma decisão difícil, particularmente em vista do grande interesse de nossos parceiros em nos reunirmos não só virtualmente, mas pessoalmente, e contribuirmos para um mundo mais resiliente, inclusivo e sustentável”, disse em nota o fundador e presidente-executivo do Fórum, Klaus Schwab. “Mas a saúde e a segurança de todos os envolvidos é nossa maior prioridade”, completou.

*Com informações de Reuters.
Foto: Denis Balibouse/Reuters 

Leia também:   Presidente do BCE vê aumento da inflação na zona do euro em 2021

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp