Navegue:
Ibovespa tem terceira alta seguida, com impulso de commodities e exterior

Ibovespa tem terceira alta seguida, com impulso de commodities e exterior

Principal índice da Bolsa brasileira fechou a sessão com avanço de 1,71%, aos 110.345 pontos

Gráfico de ações

Foto: Shutterstock

Por:

Gabriel Bosa

Compartilhe:

Por:

Gabriel Bosa

Seguindo o bom humor generalizado dos mercados, o Ibovespa engatou sua terceira alta seguida no pregão desta segunda-feira (23), com as ações ligadas às commodities entre as que mais subiram no dia.

O principal índice da Bolsa brasileira fechou a sessão com avanço de 1,71%, aos 110.345 pontos, com R$ 20,36 bilhões em volume negociado. Desde o início do mês de maio, o Ibovespa soma ganhos de 2,29%, enquanto o saldo de 2022 é de alta de 5,27%.

O bom humor do Ibovespa refletiu a tendência dos mercados globais. Em Nova York, o Dow Jones teve alta de 1,98%, o S&P 500 subiu 1,86% e o Nasdaq avançou 1,59%. Na Europa, o índice Euro Stoxx 50 fechou com ganhos de 1,4%.

Boas notícias na China

A China dá sinais de alívio nas restrições impostas para combater a disseminação da Covid-19, com abertura parcial do metrô em Xangai. Agora, a cidade deve dar continuidade ao seu plano de reabertura econômica. Pequim, por outro lado, registrou um número recorde de casos durante o fim de semana.

Outro ponto que deu ânimo aos mercados foi a declaração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de que pode rever as tarifas impostas a produtos chineses durante a administração de Donald Trump.

Veja também:
Conheça as pagadoras de dividendos preferidas dos analistas do BTG Pactual

As notícias deram força às commodities. O minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 4,41%, para US$ 129,63. O petróleo tipo Brent, por sua vez, subiu 0,77%, para US$ 113,42.

A sinalização de retomada econômica na China é benéfica para essas empresas, uma vez que o gigante asiático é um grande importador dessas matérias-primas. Além disso, um setor que deve ser impulsionado nessa retomada é o imobiliário, que precisa de aço.

O minério também foi impulsionado pela decisão da Índia, que fornece a commodity para a China, elevar as tarifas de exportação para conter a escalada da inflação.

A alta das commodities impulsionou as ações brasileiras ligadas a matérias-primas, com destaque para Petrobras (PETR4), que teve alta de 3,93%, CSN (CSNA3), que subiu 3,98%, e Usiminas (USIM5), com avanço de 3,62%.

Política monetária e política fiscal

Ainda no exterior, os temores em torno do aperto monetário seguem em pauta, principalmente em relação ao EUA, que divulga a ata da última reunião do Fed (Federal Reserve, o banco central americano) na quarta-feira (25).

Na Europa, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, afirmou que o BCE deve começar a subir as taxas de juros em julho, tirando-as do território negativo até o final de setembro.

Por aqui, o projeto do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para limitar a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos combustíveis segue gerando repercussão. Ao longo do fim de semana, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, argumentou que os governos estaduais têm de fazer sua contribuição, defendendo o projeto. A medida será votada nesta terça-feira (24).

Leia mais:
Cobertor curto: limitar ICSM de combustíveis reduz inflação, mas prejudica contas públicas

Em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro negou que o governo irá taxar compras por aplicativos chineses, como Shopee, AliExpress e Shein. Se confirmada, a notícia seria negativa para as varejistas brasileiras, que vêm lutando contra a concorrência dos produtos baratos vindos da China.

Na seara eleitoral, o ex-governador de São Paulo João Doria anunciou sua desistência da pré-candidatura à presidência, depois de encarar forte pressão de outros integrantes de seu partido, o PSDB, diante dos resultados das pesquisas de intenção de voto.

Destaques do pregão

Após revelar em abril que havia mudado a forma de contabilizar a entrada de investimentos estrangeiros na Bolsa e que a nova metodologia reduzira em R$ 27 bilhões o saldo de 2022, a B3 apresentou na sexta-feira (20) os números atualizados para os anos de 2020 e 2021, que também ficaram menores.

Em relação a 2021, a mudança de cálculo fez o saldo de dinheiro gringo sair do positivo para o negativo. Antes, estimava-se que os investidores estrangeiros haviam colocado R$ 70,8 bilhões. Agora, calcula-se que, na verdade, houve uma saída de R$ 7,2 bilhões — uma diferença, portanto, de R$ 77,9 bilhões, segundo a B3.

Em 2020, o saldo já era negativo, de R$ 31,8 bilhões, e piorou ainda mais, para R$ 39,7 bilhões, uma variação de R$ 7,8 bilhões. Com as novas contas para 2020, 2021 e 2022 (até março), a B3 reduziu, no total, a entrada de dinheiro estrangeiro em R$ 112,7 bilhões.

De acordo com analistas da Ativa Investimentos, em comentários ao mercado, a “mudança significativa nos números traz questionamentos e abala confiança na B3, o que pode engrossar o discurso a favor de mais concorrência”. As ações fecharam o pregão em alta de 0,5%.

As maiores altas do Ibovespa, porém, foram de IRB Brasil (IRBR3), BRF (BRFS3) e Banco do Brasil (BBAS3), com ganhos de 9,23%, 4,86% e 4,22%, respectivamente.

A ação do IRB Brasil se recupera de parte das perdas de pregões recentes, assim como os papéis do Banco Pan (BPAN4), que fecharam em alta de 3,53%, depois de acumularem desvalorização de mais de 5% nas últimas cinco sessões.

Na visão de João Abdouni, analista da INV, a alta dessas companhias se explica pelo chamado “movimento de repique”, ou seja, uma alta momentânea de uma ação que tem caído com intensidade. Para ele, os papéis têm caído fortemente após os balanços do primeiro trimestre terem vindo abaixo das expectativas.

Na direção oposta, as ações que mais caíram foram as de Banco Inter (BIDI11), Qualicorp (QUAL3) e CVC (CVCB3), com recuos de 5,16%, 4,55% e 3,06%, nesta ordem.

Empresas ligadas ao setor de saúde figuravam entre as principais quedas do pregão. Além da Qualicorp, Rede D’or (RDOR3) perdeu 1,79% e Sulamérica (SULA11) desvalorizou 1,55%.

Para o analista da INV, essas companhias sofrem com uma legislação dura para reajustar planos de saúde e que, num cenário de inflação alta, essa perda de capacidade de repasse ao consumidor acaba prejudicando as margens destas empresas.

Na sexta-feira (20), a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) informou que o reajuste máximo a ser autorizado para os planos individuais ou familiares está sendo estudado pelo Ministério da Economia, e ainda não possui data para ser divulgado.

Fora do Ibovespa, as ações da Enjoei (ENJU3) caíram 6,39%. Na sexta-feira, a companhia anunciou a suspensão das negociações com a plataforma online de venda de artigos de luxo de segunda mão Gringa, mas informou que pretende “retomar as discussões e estudos, em conjunto com os acionistas da Gringa, em busca de alternativas para a combinação de seus negócios que atendam aos interesses de ambas as partes”.

Na direção oposta, também fora do índice, as ações da C&A (CEAB3) dispararam 17,67%, em meio a rumores de que alguma negociação para a compra da companhia estaria em curso.

Bitcoin

O clima positivo que impulsionou os mercados nesta segunda-feira deu força para que o Bitcoin (BTC) segurasse a resistência de US$ 30 mil defendida na semana passada, apesar da oscilação entre perdas e ganhos.

Por volta das 16h45 (de Brasília), a maior cripto em capitalização registrava queda de 2,48% nas últimas 24 horas, cotada a US$ 29,234, conforme dados da CoinMarketCap.

Na mesma hora, o Ethereum (ETH) perdia 0,93%, a US$ 1.900, enquanto o XRP cedia 1,81%, cotado a US$ 0,40.

Para analistas, a atual estabilidade é momentânea e o quadro deve voltar a apresentar forte volatilidade a partir de quarta-feira (25), com a divulgação de dados da política monetária e inflação dos Estados Unidos.

Compartilhe:

Compartilhe: