Navegue:
Esses BDRs pagaram dividendos acima da Selic em 2021; veja quais são as oportunidades agora

Esses BDRs pagaram dividendos acima da Selic em 2021; veja quais são as oportunidades agora

Mesmo com a renda fixa atrativa, o mercado acionário ainda apresenta boas oportunidades para quem procura um fluxo de caixa constante

Pela oitava reunião consecutiva, o Copom decidiu aumentar a Selic, elevando-a para 10,75%. Quais BDRs têm dividendos acima disto?

Foto: Pixabay

Por:

Compartilhe:

Por:

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu ontem à noite que a taxa básica de juros da economia (Selic) subirá em mais 1,5 ponto percentual, passando de 9,25% para 10,75% ao ano, em linha com as expectativas do mercado. O grupo também sinalizou que mais altas estão a caminho, embora de menor magnitude.   

A despeito dos sinais iniciais de arrefecimento da inflação, o BC tem mostrado que o objetivo primordial é estancar o aumento dos preços em detrimento do crescimento econômico – que deve ser próximo de zero neste ano. O ciclo de alta da Selic já dura quase um ano. 

Mesmo com a renda fixa recuperando sua atratividade, o mercado acionário ainda apresenta boas oportunidades para quem procura um fluxo de caixa constante. O pagamento de dividendos continua sendo uma ótima forma de renda passiva ao investir em empresas.

Melhor ainda se essas empresas forem cotadas em moeda forte. Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) permitem que investidores brasileiros se exponham ao mercado internacional e recebam remuneração com periodicidade específica.

As regras tributárias, neste caso, são iguais às de ações – no Brasil, o recebimento de dividendos pagos por empresas estrangeiras é isento de imposto de renda. Contudo, os proventos podem ser tributados no país de origem da companhia, variando de país a país. 

Mesmo assim, alguns papéis conseguiram superar a Selic ao longo de 2021, pagando dividendos aos seus acionistas numa ordem acima da taxa de juros brasileira. Confira quais são. 

Aura Minerals (AURA33)

A Aura Minerals é uma mineradora canadense de ouro e cobre. A atuação da empresa consiste em três minas. Uma delas fica no Brasil, em Ernesto/Pau-a-Pique. As outras duas ficam em San Andres (Honduras) e Aranzazu (México).

A empresa também operava sobre a mina Gold Road, no estado do Arizona, nos Estados Unidos. Porém, os investimentos foram interrompidos no fim do ano passado, com as operações sendo concentradas em projetos de maior escala. 

Segundo números da empresa, há reservas provadas e prováveis totais de 1,9 milhão de onças de ouro e 156 milhões de libras de cobre. 

Considerando os recursos totais, que são os medidos, indicados e inferidos, a companhia possui 5,3 milhões de onças de ouro (equivalente a US$ 9,58 bilhões na cotação atual) e 611 milhões de libras de cobre (US$ 2,75 bilhões).

No terceiro trimestre do ano passado, a companhia reverteu o lucro do mesmo período do ano anterior e registrou um prejuízo de US$ 14,5 milhões. A receita líquida somou US$ 100,53 milhões, beneficiada pela alta de 14% na produção total.

De acordo com a mineradora, os preços do ouro pressionaram os números da empresa nos 12 meses entre setembro de 2020 e setembro de 2021 – embora a cotação do cobre tenha aumentado.

Contudo, o histórico recente do preço do ouro foi amplamente benéfico para a empresa e seus acionistas.

Preço do contrato padrão de Ouro de 250 gramas na B3

Fonte: TradeMap
Fonte: TradeMap

Ao longo do ano passado, a companhia pagou R$ 6,45 em dividendos. Dado que fechou o ano cotada a R$ 45, isso significa que o dividend yield (DY) foi de 14,54%. Consideravelmente acima da atual Selic e da taxa de juros média em 2021.

Rio Tinto (RIOT34)

A Rio Tinto é mais conhecida do público brasileiro. A concorrente da Vale (VALE3) na produção de minério de ferro é um dos grandes players globais de mineração. 

Sediada no Reino Unido, a empresa reportou em janeiro que os embarques de minério de suas operações na Austrália recuaram 3% em 2021 em relação a 2020. 

Segundo a companhia, suas minas foram impactadas pela falta de trabalhadores e problemas na cadeia logística no segmento. A expectativa da empresa, porém, é que os embarques voltem a crescer neste ano.

Em 2021, 321,6 milhões de toneladas de minério de ferro foram despachadas da operação australiana. Para este ano, a previsão é de aumento na produção na região de Pilbara, com embarques estimados entre 320 milhões de toneladas e 335 milhões de toneladas.

O minério de ferro, porém, não é o único foco da empresa. No fim do mês passado, a empresa anunciou que chegou a um acordo com uma empresa canadense e o governo da Mongólia para a expansão da mina de cobre Oyu Tolgoi, no deserto de Góbi.

O destravamento da parte mais valiosa da mina está previsto para acontecer a partir do primeiro semestre de 2023. Medidas ligadas às premissas ambientais, sociais e de governança (ESG) foram exigidas e serão implementadas. 

Ações da Vale (verde) e BDRs da Rio Tinto (amarelo) acompanham movimento do minério de ferro

Fonte: TradeMap
Fonte: TradeMap

Em 2021, a empresa pagou R$ 48,91 por papel em dividendos, sendo que fechou o ano com seus BDRs negociados a R$ 369,69. Isso é equivalente a um DY de 13,23%, ou 2,48 pontos percentuais acima da Selic.

Sibanye-Stillwater (S1BS34)

A sul-africana Sibanye-Stillwater é uma empresa multinacional de mineração de metais preciosos. A companhia é um dos maiores produtores primários de platina, paládio e ródio do mundo, também sendo reconhecido como produtor de ouro de primeira linha. 

Recentemente, a empresa desistiu de adquirir minas de níquel e cobre no Brasil por US$ 1 bilhão. A aquisição fazia parte dos esforços para entrar na corrida por metais que devem ser altamente demandados pela indústria de veículos elétricos e da economia verde.

Leia também: 
Os BDRs que devem surfar as principais tendências do mundo em 2022

Os ativos são controlados por fundos assessorados pela Appian Capital, gestora de recursos e investimentos em mineração. A empresa disse que está avaliando as medidas legais para o caso. 

Entre oportunidades e riscos, a companhia conseguiu surfar o bom momento das commodities ao longo dos últimos trimestres. 

Em 2021, a empresa pagou R$ 3,45 em dividendos, ao passo que seus BDRs fecharam o ano em R$ 35,06, o que significa que o dividend yield da empresa foi de 9,86% – superior ao nível máximo da Selic em 2021, de 9,25%.. 

BHP Group Plc (B1BL34)

A BHP Group, por sua vez, é a maior mineradora do planeta. Fundada em 2001, por meio da fusão entre a australiana Broken Hill Proprietary Company Limited (BHP) e da AngloDutch Billiton, a empresa é a quarta maior companhia do país em termos de receita.  

As atividades da empresa passam por tanoaria, minério de ferro, níquel, petróleo, entre outros. Os trabalhos se concentram em mais de 90 localidades. 

Atualmente, o novo CEO, Mike Henry, está focado na expansão das atividades com metais necessários para a transição energética no mundo, diminuindo o apetite por petróleo e gás. 

Para se tornar mais ágil na mudança de comportamento no mercado, inclusive, a empresa pretende encerrar sua listagem na Bolsa de Londres, segundo a Bloomberg. Uma oferta pública de aquisição (OPA) deve ser realizada nos próximos dias. 

A empresa encerrou 2021 com seus papéis cotados a R$ 66,77 na B3. Com base no pagamento de R$ 6,21 em proventos ao longo do ano passado, o DY da empresa foi de 9,30%, levemente acima da Selic do período. 

Compartilhe:

Compartilhe: