Navegue:
Vendas do comércio caem 1,3% em setembro; analistas esperavam recuo de 0,6%

Vendas do comércio caem 1,3% em setembro; analistas esperavam recuo de 0,6%

Em relação ao mesmo mês do ano passado, o tombo foi de 5,5%; seis de oito atividades pesquisadas tiveram queda

comercio
Por:

Compartilhe:

Por:

As vendas do comércio varejista tiveram queda de 1,3% em setembro na comparação com agosto, divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira, dia 11. Em agosto, segundo dados ajustados da PMC (Pesquisa Mensal de Comércio), o recuo havia sido de 4,3%.

Analistas ouvidos pela Broadcast esperavam, em média, vendas 0,6% menores do que o mês anterior. Na comparação com setembro do ano passado, o tombo alcançou 5,5%, e a média móvel trimestral teve queda de 0,9%. No acumulado do ano, a atividade do comércio ainda está positiva, em 3,8% (a alta é de 3,9% no acumulado em 12 meses).

Já no comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas teve queda de 1,1% em setembro, após queda de 3% em agosto. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a contração foi de 4,2%.

As informações sobre atividade econômica vêm sendo acompanhadas com atenção pelo mercado, já que a alta da inflação e consequentemente aumento dos juros estão levando analistas a revisarem para baixo o desempenho do PIB (Produto Interno Bruto) do ano que vem. Atualmente, os especialistas ouvidos pelo Boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central, esperam uma alta de somente 1% em 2022.

Quase todas as atividades recuaram em setembro

Segundo o IBGE, seis de oito atividades pesquisadas apresentaram queda na comparação com agosto.

Os recuos foram: equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-3,6%), móveis e eletrodomésticos (-3,5%), combustíveis e lubrificantes (-2,6%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-2,2%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,5%) e tecidos, vestuário e calçados (-1,1%).

Duas atividades apresentaram estabilidade: livros, jornais, revistas e papelaria e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos.

Quando se considera o varejo ampliado, o segmento de veículos, motos, partes e peças teve queda de 1,7%, enquanto material de construção caiu 1,1%.

O que é a PMC

A Pesquisa Mensal de Comércio é realizada mensalmente pelo IBGE, a partir da receita bruta do comércio varejista que emprega 20 ou mais pessoas. O levantamento foi iniciado em janeiro de 1995, apenas na região metropolitana do Rio de Janeiro, e em 2000 passou a ter abrangência nacional.

 

 

Compartilhe:

Compartilhe: