Resultados trimestrais da Eletrobras, BR Distribuidora e mais companhias

Faixada do prédio da Eletrobras (sede)
Eletrobras (ELET3; ELET6)

A Eletrobras atingiu lucro líquido de R$ 716 milhões entre julho e setembro deste ano, revertendo o prejuízo de R$ 2,26 bilhões reportados no mesmo intervalo de tempo de 2018. Em nove meses, a companhia soma R$ 7,624 bilhões ante resultado negativo de R$ 404 milhões nos 9M18.

A receita operacional líquida da Eletrobras também reportou crescimento no terceiro trimestre de 2019, passando de R$ 6,642 bilhões para R$ 7,291 bilhões, alta de 9,8%.

BR Distribuidora (BRDT3)

A BR Distribuidora apresentou lucro líquido de R$ 1,336 bilhão no terceiro trimestre de 2019, número 23,9% superior em relação ao mesmo período de 2018. Já em comparação com o 2T19, houve crescimento de 342,4%.

Em contrapartida, a companhia registrou queda de 7,9% em sua receita líquida, passando de R$ 26,455 bilhões no terceiro trimestre do ano passado para R$ 24,360 bilhões entre julho e setembro de 2019.

“Este foi o primeiro trimestre após a operação de follow on que tornou a BR uma empresa privada. Ao longo deste período, a companhia seguiu focada na implementação de sua agenda de valor, com importantes avanços em todas as dez iniciativas anunciadas ao mercado”, destacou a empresa em seu release.

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa, holding que controla o banco Itaú, Duratex e Alpargatas, registrou lucro líquido de R$ 1,9 bilhão no 3T19, uma queda de 22% em relação ao mesmo período de 2018. O lucro líquido recorrente, por sua vez, atingiu o valor de R$ 2,474 bilhões entre julho e setembro deste ano, alta de 6% no comparativo anual.

De acordo com a companhia, o resultado financeiro é justificado principalmente por conta de itens não recorrentes no período de R$ 533 milhões.

“No 3T19, a receita líquida atingiu R$ 1,112 bilhões, 9% superior à observada no mesmo período do ano devido à indexação dos contratos de transporte de gás pelo IGP-M ocorrida no início de 2019”, informou a empresa em seu release.

Embraer (EMBR3)

O prejuízo líquido da Embraer foi de R$ 314,4 milhões no 3T19, um valor seis vezes a mais do que o reportado no mesmo período de 2018, de R$ 52,3 milhões. O resultado ajustado também apresentou desempenho negativo, de R$ 191,7 milhões.

No 3T19, a receita líquida teve crescimento de 2% em relação ao 3T18 e ficou em R$ 4,692 bilhões, “principalmente em função do maior número de jatos entregues tanto na Aviação Comercial quanto na Executiva, aliado ao crescimento de 3% na Receita líquida de Serviços & Suporte quando comparado ao 3T18”, informou a Embraer em nota.

Marfrig (MRFG3)

A frigorífica Marfrig reverteu o prejuízo líquido do 3T18 de R$ 126 milhões e lucrou R$ 100,4 milhões no terceiro trimestre deste ano.

Por sua vez, a receita líquida consolidada no 3T19 foi de R$ 12,7 bilhões, crescimento de 3,6% em relação a junho e setembro de 2018. De acordo com a Marfrig, o resultado foi recorde da companhia.

“Em 9 de setembro, o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) notificou a companhia sobre novas habilitações de plantas para exportação de carne bovina para República Popular da China”, informou em nota a Marfrig. Para saber mais, clique aqui.

Cosan (CSAN3)

A Cosan apresentou lucro líquido ajustado de R$ 460,8 milhões durante julho e setembro de 2019, contra R$ 172,9 milhões no terceiro trimestre de 2018. Sem ajustes, o lucro atingiu R$ 818,9 milhões, crescimento de 18,6 vezes.

Yduqs (YDUQ3)

A empresa educacional Yduqs, antiga Estácio, obteve lucro líquido de R$ 158,8 milhões no terceiro trimestre de 2019, cifra 18,3% inferior em relação ao mesmo período do ano anterior.

A receita líquida da companhia também registrou queda, passando de R$ 852,8 milhões para R$ 833,1 milhões (-2,3%).

Foto: Divulgação

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp