O que é aluguel de ações?

O mercado financeiro é tão extenso que podemos operar aluguel de ações de outros investidores e garantir algum rendimento com esse procedimento. Mas calma! Você não leu errado, muito menos estamos falando algo que foge da realidade, caro marujo! Caso você não saiba ou não tenha domínio deste assunto, o TradeMap preparou um artigo com as principais características sobre o aluguel de papéis. Vamos nessa?

Antes de mais nada, se você for novo nessa área de investimento, recomendamos que você veja nossos outros artigos de educação financeira para ter uma base, certo? Mas só para te deixar mais familiarizado, vamos explicar brevemente o que são ações e para que servem. Vejamos!

O que são ações?

As ações são, basicamente, títulos negociados nas bolsas de valores. Este termo é o mais simples que podemos defini-las, mas não para por aí, certo? Elas representam uma fração do capital social de alguma empresa, ou seja, quando você a adquire, logo será um sócio da companhia.

Na teoria, os acionistas têm a intenção de comprar os papéis por um preço e vendê-los mais caros. Dessa forma, eles terão seu rendimento na diferença do valor.

No entanto, a prática é bem diferente, uma vez que o mercado é volátil, ou seja, depende de expectativas. Isso quer dizer que não necessariamente você ganhará dinheiro e, por isso, deve se prevenir de alguma forma, como por exemplo diversificar sua carteira.

Você já sabe qual é o seu horizonte de investimento? Leia mais!

Seguindo essa linha de raciocínio, vamos falar sobre os aluguéis então:

Aluguel de ações - TradeMap
Como funciona isso, afinal?

Hoje em dia as pessoas alugam uma variedade de objetos, como patinetes e bicicletas, então por que seria diferente no mercado financeiro?

Assim como alugar uma casa ou carro, você se torna um doador do determinado papel, uma vez que o confia em troca de alguma rentabilidade.

Mas para entender de uma forma mais clara, preparamos um infográfico para facilitar ainda mais a explicação. Veja ao lado:

Antes de mais nada, temos que ter em mente que o investidor que aluga o seu papel a outra pessoa, chamado de doador, não quer se desfazer do ativo e, por isso, pode alugá-lo e ter uma forma de rentabilidade. Essa ação pode crescer a longo prazo.

Podemos notar que existem vantagens e desvantagens ao ser tanto doador como tomador. Assim como dissemos antes, o mercado é volátil e, dessa forma, mesmo com análises técnicas, não é possível prevê-lo de forma concreta.

Vamos ver um exemplo:

Caso um investidor resolva alugar seus papéis (doador), ele poderá ganhar dinheiro com o porcentual do aluguel, assim como também se esses ativos forem valorizados na bolsa. Se por acaso ele alugou uma ação em R$ 25 e no final do contrato o mesmo papel estiver sendo negociado a R$ 30, este acionista ganhará 5 reais a mais em sua conta.

Por outro lado, se o ativo for desvalorizado e estiver operando a R$ 20, o tomador sairá no lucro, pois vai ganhar R$ 5 de diferença.

Explicando o conceito em geral, podemos seguir para a próxima etapa:

Como alugo minhas ações?

O aluguel de ações funciona por meio de um contrato. Dessa forma, você deve ter alguma conta em uma corretora. O pré-requisito é possuir um home-broker para realizar a ordem de aluguel.

Os ativos que podem ser alugados são:

  • Ações
  • Units (papéis compostos por classes ordinárias e preferenciais)
  • ETFs (Exchange Traded Funds)
  • BDRs (Brazilian Depositary Receipts)

E aí, marujo! Pensa em alugar suas ações e ter uma rentabilidade com essa operação? Lembre-se que você pode contar com o TradeMap para acompanhar seus ativos na palma da mão, hein? Além do mais, contamos também com a versão web e, caso ainda não tenha utilizado, teste agora mesmo!

Ainda não conhece o TradeMap?
O mercado financeiro no seu bolso! Grátis e em tempo real!

Baixe agora mesmo

Deixe seu comentário abaixo e fale sobre sua experiência com aluguel de ações! Até a próxima, marujo!

Foto: iStock

4 Comentários
Escrever um comentário