MP da Liberdade Econômica é aprovada na Câmara sem alteração

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Câmara dos Deputados aprovou ontem à noite (14) a Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 881/19). De acordo com a proposta, aprovada em julho na comissão mista de deputados e senadores, a burocracia para abertura de empresas será reduzida, além de facilitar o acesso ao empreendedor de micro e pequeno porte. As informações são do portal G1.

A MP passou pela Câmara na última terça-feira (13), e ontem os deputados analisaram os destaques, que são algumas sugestões de mudança no texto. Porém, todos foram reprovados em votação e a proposta segue ao Senado, onde precisa ser aprovada até o dia 27 de agosto.

O texto possui 20 artigos que promovem alterações em regras de direito civil, administrativo, empresarial e trabalhista. Além do mais, a proposta elimina alvarás para atividades de baixo risco, separa o patrimônio dos sócios de empresas das dívidas de uma PJ e, também, proíbe que bens de companhias de um grupo sejam usados para quitar débitos de uma empresa, como apurou a Agência Brasil.





Leia também:   Hospital Care define faixa indicativa de IPO e pode movimentar R$1,1 bi

Segundo o portal InfoMoney, o Congresso voltará a discutir a MP em novos projetos de lei, já que a versão aprovada foi enxuta ante à originalmente planejada pelo deputado e relator da Liberdade Econômica, Jerônimo Goergen (PP-RS).

Entre os principais pontos de mudanças na legislação da MP estão:

Trabalhados aos domingos

Atualmente, a CLT prevê descanso aos domingos e, a partir da MP, o trabalhador terá preferência ao primeiro dia da semana, mas poderá abrir concessões para outros dias.

A medida provisória deixa claro que o empregado pode trabalhar aos domingos, mas sendo obrigatório ter uma folga no intervalo de, no máximo, quatro semanas.

Carteira de trabalho eletrônica

De acordo com a MP, a emissão de novas carteiras de trabalho ocorrerá preferencialmente por meio eletrônico, com o número do CPF como identificação única do trabalhador.

Leia também:   IGP-M sobe 0,5% na primeira prévia de abril, informa FGV

Você acessar a todas informações pelo site da Câmara dos Deputados ou pelo Congresso Nacional.

Tags:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp