Gol conclui refinanciamento de R$ 1,2 bilhão em dívida de curto prazo

Emissão de debêntures representa a última etapa do programa de liability management, que permitirá que a Gol retorne ao seu menor patamar de dívida bancária de curto prazo desde 2014

gol divulgacao 1

Foto: Gol/Divulgação

Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

A Gol comunicou na manhã desta terça-feira, 26, que finalizou o refinanciamento de sua dívida bancária de curto prazo de R$ 1,2 bilhão, por meio da extensão da sétima série de debêntures e da emissão da oitava série de debêntures simples não conversíveis da GLA Linhas Aéreas, unidade operacional da companhia.

De acordo com a aérea, os recursos das debêntures serão utilizados integralmente para refinanciar a dívida de curto prazo e estender o prazo médio dos passivos para 3,3 anos, um aumento de mais de dois anos.

Segundo a empresa, a transação foi realizada com esforços restritos e coordenada pelos bancos UBS BB, Bradesco BBI e Santander.

Em nota à imprensa, o vice-presidente financeiro da Gol, Richard Lark, disse que o encerramento do refinanciamento e a consequente conclusão do programa de liability management ocorreram no “melhor momento”.

“Agora, comparativamente aos nossos pares, o balanço patrimonial da Gol está numa posição mais forte em termos de endividamento, o que entendemos ser uma vantagem competitiva no atual ambiente de mercado”, destacou o executivo.

Conforme o anúncio dos termos e das condições do refinanciamento da companhia em setembro, a emissão dessas debêntures representa a última etapa do programa de liability management da companhia aérea, o que permitirá que a Gol retorne ao seu menor patamar de dívida bancária de curto prazo desde 2014, com um montante aproximado de R$ 500 milhões.

Leia também:   Track&Field (TCFO4): companhia pretende crescer por meio de abertura de lojas, diz CEO

A Gol ainda ressalta que, no período de 19 meses encerrados em setembro, a extração de valor dos ativos da empresa propiciou uma redução de R$ 3,3 bilhões em sua dívida financeira de curto prazo. O passivo de arrendamento da companhia se manteve em aproximadamente 46% do total do endividamento, com uma taxa de desconto estável em IFRS 16 (norma internacional contábil).

Por volta das 11h45, as ações da Gol (GOLL4) caíam 2,67%, a R$ 16,74. No mesmo horário, o principal índice da B3, o Ibovespa, registrava queda de 1,50%, aos 107 mil pontos. Acompanhe a cotação em tempo real pelo TradeMap.

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Não vá ainda...

Baixe o nosso App!

O maior hub do mercado financeiro
na palma da sua mão!

Popup out planos