Brasil pode sofrer impacto na exportação da soja com acordo comercial entre EUA-China

Soja, foto de Appa - Divulgação

O Brasil pode perder dinheiro com o potencial acordo entre Estados Unidos e China, informou um representante do Ministério da Agricultura nesta quarta-feira, 8. Isso porque nosso país tem exportado mais soja desde que as duas potências mundiais entraram em disputa comercial.

Segundo Wilson Vaz Araújo, secretário substituto de Política Agrícola da pasta, o Brasil poderia reagir mudando suas exportações para outros países no caso de um acerto entre as duas maiores economias do mundo.

“Nós ganhamos nesses anos… acabamos tendo espaço maior no mercado. Se vai retroceder um pouco? Pode ser. Mas o Brasil acho que tem condição de reagir a isso e exportar para outros mercados”

afirmou Araújo

De acordo com a Reuters, autoridades chinesas devem viajar para os Estados Unidos já na próxima semana para concluir a primeira fase que o presidente Donald Trump anunciou em outubro.

→ Leia também: Trump afirma que acordo comercial entre EUA e China vai ser assinado no dia 15 de janeiro

Na época, Trump afirmou em sua conta no Twitter que assinaria o acordo com “representantes alto nível da China” e que viajaria a Pequim para iniciar as negociações da próxima fase.

Ainda de acordo com a Reuters, a China praticamente parou de comprar soja dos EUA durante a guerra comercial, impulsionando as importações junto ao Brasil. Em 2019, foram enviadas ao exterior 78 milhões de toneladas do produto agrícola, levantando mais de US$ 28 bilhões, conforme mostram os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Foto: Appa/Divulgação