Bradesco (BBDC4) e Itaú (ITUB4) diminuem juros de crédito imobiliário

agencias Bradesco e Itaú

Na última sexta-feira, 27, o banco Itaú (ITUB3; ITUB4) anunciou ao mercado uma nova redução nos juros de crédito imobiliário. A taxa mínima passou de 8,1% a.a. + taxa referencial (TR) para 7,45% a.a. + TR. A novidade passa a valer a partir de amanhã, 1 de outubro, para as linhas de Sistema Financeiro da Habitação (SFH), Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e Carteira de Hipoteca (CH).

De acordo com dados apurados pelo Estadão, o Itaú lidera o ranking da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) entre as instituições financeiras privadas do Brasil em relação à concessão de crédito de imóveis para as pessoas físicas em 2019.

“O mercado imobiliário está crescendo, a compra de um imóvel é uma decisão relevante na vida das pessoas. Queremos participar desse momento. É uma oportunidade de viabilizar sonhos e estabelecer uma relação de longo prazo com nossos clientes. Além, é claro, de contribuir para a retomada do setor”, afirma em nota Cristiane Magalhães, diretora do banco.

Corte no Bradesco

Acompanhando o mesmo ritmo, o Bradesco (BBDC3; BBDC4) também informou que reduzirá seus juros de crédito imobiliário. A partir de amanhã, sua nova linha oferecerá taxa mínima de 7,30% ao ano mais a TR, ante 8,2% a.a. + taxa referencial, como aponta o G1.

Segundo o Bradesco, as novas taxas podem ser contratadas para financiamento imobiliário de até 360 meses, além de permitir a utilização do FGTS (Fundo de Garantir por Tempo de Serviço). “O cliente pode financiar até 80% do valor do imóvel e o comprometimento máximo da renda líquida sobre o valor das prestações é de 30%”, disse o banco em nota.

Os dois bancos seguem o corte da taxa Selic, reduzida na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. No dia 18 de setembro, foi definido, por unanimidade, um corte de 0,5% na taxa básica de juros, passando de 6% para 5,5% ao ano.

→ Leia também: Itaú e Bradesco reduzem taxas de juros em linhas de crédito após corte da Selic

Mercado Imobiliário

Na bolsa brasileira, após o anúncio do Itaú frente às novas taxas imobiliárias no dia 27, o Índice Imobiliário (IMOB) registrou um desempenho positivo e deteve alta.

No TradeMap, você pode verificar o desempenho do índice da B3 e demarcar os detalhes por um período mais curto. Veja:

Índice Imobiliário (IMOB)
IMOB, com alta de 0,58%, no TradeMap

Foto: Gustavo Gomes/Bloomberg