Bradesco (BBDC4) e Itaú (ITUB4) diminuem juros de crédito imobiliário

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Na última sexta-feira, 27, o banco Itaú (ITUB3; ITUB4) anunciou ao mercado uma nova redução nos juros de crédito imobiliário. A taxa mínima passou de 8,1% a.a. + taxa referencial (TR) para 7,45% a.a. + TR. A novidade passa a valer a partir de amanhã, 1 de outubro, para as linhas de Sistema Financeiro da Habitação (SFH), Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e Carteira de Hipoteca (CH).

De acordo com dados apurados pelo Estadão, o Itaú lidera o ranking da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) entre as instituições financeiras privadas do Brasil em relação à concessão de crédito de imóveis para as pessoas físicas em 2019.





“O mercado imobiliário está crescendo, a compra de um imóvel é uma decisão relevante na vida das pessoas. Queremos participar desse momento. É uma oportunidade de viabilizar sonhos e estabelecer uma relação de longo prazo com nossos clientes. Além, é claro, de contribuir para a retomada do setor”, afirma em nota Cristiane Magalhães, diretora do banco.

Corte no Bradesco

Acompanhando o mesmo ritmo, o Bradesco (BBDC3; BBDC4) também informou que reduzirá seus juros de crédito imobiliário. A partir de amanhã, sua nova linha oferecerá taxa mínima de 7,30% ao ano mais a TR, ante 8,2% a.a. + taxa referencial, como aponta o G1.

Segundo o Bradesco, as novas taxas podem ser contratadas para financiamento imobiliário de até 360 meses, além de permitir a utilização do FGTS (Fundo de Garantir por Tempo de Serviço). “O cliente pode financiar até 80% do valor do imóvel e o comprometimento máximo da renda líquida sobre o valor das prestações é de 30%”, disse o banco em nota.

Os dois bancos seguem o corte da taxa Selic, reduzida na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. No dia 18 de setembro, foi definido, por unanimidade, um corte de 0,5% na taxa básica de juros, passando de 6% para 5,5% ao ano.

→ Leia também: Itaú e Bradesco reduzem taxas de juros em linhas de crédito após corte da Selic





Mercado Imobiliário

Na bolsa brasileira, após o anúncio do Itaú frente às novas taxas imobiliárias no dia 27, o Índice Imobiliário (IMOB) registrou um desempenho positivo e deteve alta.

No TradeMap, você pode verificar o desempenho do índice da B3 e demarcar os detalhes por um período mais curto. Veja:

Índice Imobiliário (IMOB)
IMOB, com alta de 0,58%, no TradeMap

Foto: Gustavo Gomes/Bloomberg

Leia também:   Ambipar adquire 50,01% de participação na Boomera do Brasil

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp