Smart Fit protocola pedido de IPO na CVM

O processo, que é espero pelo mercado desde 2018, ainda não possui um número definido de ações ofertadas

Smart Fit (Divulgação)
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

Mesmo sentindo os efeitos negativos causados pela pandemia, a Smart Fit, que ensaia uma recuperação, protocolou na última terça-feira (18) um novo pedido à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para fazer sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

“A oferta foi aprovada em assembleia geral extraordinária da companhia, conjuntamente com a submissão do pedido de migração de segmento de listagem da empresa na B3, do Bovespa Mais Nível 2 para o Novo Mercado”.

→ Leia também: o que significa ESG?

O processo, que é espero pelo mercado desde 2018, ainda não possui um número definido de ações ofertadas. Contudo, em nota, a maior rede de academias do Brasil informou que os movimentos recentes e últimos balanços podem dar uma ideia do que está por vir.

No final de 2020, a companhia recebeu um aporte de R$ 680 milhões. Já no começo deste ano, a Smart Fit tinha um caixa com mais de R$ 1 bilhão. Com isso, ela comprou a rede Just Fit, com 27 unidades em São Paulo.

Leia também:   Track&Field (TCFO4): companhia pretende crescer por meio de abertura de lojas, diz CEO

Quanto aos resultados, a empresa apresentou um prejuízo líquido de R$ 144,7 milhões durante os três primeiros meses de 2021 frente a um resultado negativo de R$ 88,7 milhões no mesmo intervalo de 2020. Por outro lado, antes dos efeitos mais sérios da pandemia, no 1º trimestre de 2019, a Smart Fit havia lucrado R$ 16,9 milhões.

Em relação ao resultado operacional da rede, medido pelo Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, em português), houve uma evolução considerável.

No 2º trimestre de 2020, o indicador havia ficado negativo em R$ 126 milhões, enquanto que, no último trimestre do ano passado, a empresa reverteu a situação e encerrou o período com um Ebitda ajustado de R$ 8 milhões. Já no 1º trimestre de 2021, o resultado da Smart Fit chegou a R$ 21 milhões.

Leia também:   Ações da PetroRio (PRIO3) dobram de preço em um ano; quais fatores levam à alta?

E não para por aí, de acordo com a companhia. Mesmo com o fechamento das academias de ginástica por conta das medidas de isolamento social, a Smart Fit afirma que o número de unidades aumentou, tanto no Brasil quanto na América Latina. Em um ano, a quantidade passou de 860 para 929.

A Smart Fit não é única na fila para estrear na bolsa brasileira, a B3. Recentemente, a Multilaser, a CSN Cimentos e a Companhia Brasileira de Alumínios (CBA), do Grupo Votorantim, também protocolaram seus pedidos à CVM.

Foto: Smart Fit/Divulgação

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

BLACK

WEEK

tag
Horas
Min.
Seg.

Não vá ainda...
Olha só o que tá rolando!

Popup Banner Black Week 3 1