Raízen protocola prospecto de oferta inicial na CVM

A oferta será apenas primária, ou seja, o montante levantado vai direto para o caixa da companhia

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Raízen, joint venture entre a Cosan e a holandesa Shell, protocolou na última segunda-feira, 7, o prospecto de sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), conforme consta no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

→ Leia também: Raízen compra o negócio de lubrificantes da Shell





De acordo com o documento oficial, a empresa pretende utilizar os recursos provenientes da operação para:

  • Construir novas plantas para expandir sua produção de produtos renováveis e capacidade de comercialização
  • Investir em eficiência e produtividade em seus parques de bioenergia
  • Investir em infraestrutura de armazenagem e logística para suportar o crescimento de volume comercializado de renováveis e açúcar

Contudo, o prospecto ainda não está completo. Informações como quantidade de ações, valor estimado da oferta ou, até mesmo, o cronograma com as datas de precificação (bookbuilding) e data de estreia na B3 ainda não foram divulgadas.

Leia também:   Tráfego de passageiros da Azul cresce 361,9% em maio

Os coordenadores do IPO são BTG Pactual (líder), Citi, Bank of America, Credit Suisse, Bradesco BBI, JP Morgan, Santander, XP, HSBC, Morgan Stanley, Safra e Scotiabank.

A oferta será apenas primária, ou seja, o montante levantado vai direto para o caixa da companhia, e com apenas ações preferenciais.

Sobre a Raízen

Líder mundial em biocombustíveis, a Raízen teve uma receita líquida de R$ 114,5 bilhões no exercício social encerrado em 31 de março deste ano. Isso faz com que ela seja uma das cinco maiores companhias do Brasil, quando se trata de receita.





Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 6,6 bilhões na mesma base.

Leia também:   Petrobras prepara follow on para se desfazer de participação na BR Distribuidora

“Esses valores são resultado de um investimento de R$ 10 bilhões em iniciativas de crescimento nos últimos 10 anos”, destaca a Raízen no prospecto.

Lâmina de IPO

Agora você pode analisar todos os IPOs em andamento na CVM direto pelo TradeMap!

Acesse nosso portal, clique no Módulo de Ações e, em seguida, selecione a aba “IPOs”, que fica na barra superior central da tela.

Por lá, você conseguirá acompanhar todas as atividades relacionadas à oferta pública inicial, como valor da operação, faixa estimada pelos coordenadores, cronograma do IPO e muito mais!

O que é bookbuilding e para que serve?

De um modo resumido, o bookbuilding é o processo utilizado para definir um preço justo para o IPO ou oferta subsequente de ações (follow on), que seja adequado à intenção de compra dos investidores.

Leia também:   Notre Dame Intermédica compra Centro Clínico Gaúcho por R$ 1,06 bi

Por isso, durante o processo, os coordenadores da oferta estudam e avaliam a demanda de seus ativos no mercado. Assim, eles conseguirão estimar o preço que poderá praticar e a quantidade de ações ou títulos que poderão ser oferecidos. Veja mais detalhes aqui

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp