Projeção para PIB de 2021 cai de 3,42% para 3,34%, revela Boletim Focus

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Os agentes do mercado financeiro acreditam que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil para 2021 fique em 3,34%, ante projeção de 3,42% na semana passada. Os dados encontram-se no Boletim Focus publicado nesta terça-feira, 3, pelo Banco Central.

Para os economistas, a retração da projeção da economia brasileira para o ano que vem está ligada à crise global causada pela pandemia de Covid-19. Na Europa, por exemplo, governos voltaram a adotar lockdown como medida para reduzir a disseminação do vírus.





Já para 2020, os agentes consultados pelo BC permaneceram com a mesma estimativa para o PIB, na casa de -4,81%.

A Selic seguiu o mesmo caminho, ficando no patamar de 2% ao ano em 2020, mesma projeção há 18 semanas. Para 2021, a taxa básica de juros do país também ficou em 2,75% ao ano.

Leia também:   BR Distribuidora anuncia o pagamento total de R$ 554 milhões em JCP

Na última quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom) não alterou a Selic, permanecendo em seu menor nível histórico, de 2% ao ano.

Enquanto isso, a inflação oficial do Brasil, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), subiu de 2,99% para 3,02% em 2020, o que representa a 12ª correção semanal para cima.

Para 2021, a projeção do IPCA também subiu, passando de 3,10% para 3,11%.





Vale lembrar que a meta de inflação a ser perseguida pela autarquia monetária é de 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Por último, a previsão para o dólar no final deste ano subiu de R$ 5,40 para R$ 5,45, a quarta alta seguida no relatório do BC. Para o próximo ano, a expectativa foi mantida em R$ 5,20.

Leia também:   Assaí registra alta de 62% no lucro do 2º tri, para R$ 205 milhões

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp