Projeção para inflação em 2020 sobe pela 16ª semana, revela Boletim Focus

Para o próximo ano, a projeção também foi alterada, passando de 3,40% para 3,47%, um aumento de 0,07 ponto percentual

Os agentes de mercado consultados pelo Banco Central preveem que a inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), suba de 3,45% para 3,54% neste ano, a 16ª correção semanal para cima.

Black Week do TradeMap

Para o próximo ano, a projeção também foi alterada, passando de 3,40% para 3,47%, um aumento de 0,07 ponto percentual na comparação semanal.

Vale ressaltar que a meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 4% em 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.





Essas expectativas fazem parte do Boletim Focus, divulgado toda segunda-feira pelo Banco Central do Brasil e traz as projeções do mercado sobre os principais indicadores econômicos do país.

Enquanto isso, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 subiu de -4,55% para -4,50%. É a segunda alta seguida, aponta o relatório. Em meados de junho, o indicador apresentava uma estimativa de tombo de -6,54, por conta da pandemia de Covid-19 e todo impacto financeiro negativo gerado por medidas de proteção.

Já para 2021, a projeção também apresentou um leve avanço para a economia brasileira, passando de 3,40% para 3,45%.

A taxa básica de juros não teve a projeção alterada, permanecendo em 2% ao ano em 2020, mesmo patamar há 22 semanas. Para a Selic de 2021, a estimativa dos economistas é de 3% ao ano, mesmo nível da semana passada.

Por último, a estimativa para o dólar no final deste ano caiu de R$ 5,38 para R$ 5,36. Já para o próximo ano, a projeção foi mantida no patamar de R$ 5,20.

Foto: iStock Photos

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp

Assine a nossa Newsletter!