Produção industrial cai 2,4% em março, informa IBGE

O recuo foi puxado, principalmente, pela queda de 8,4% na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Em março, a produção industrial apresentou uma queda de 2,4% em comparação ao mês anterior, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta quarta-feira, 5, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com isso, houve uma intensificação da perda de 1% que havia sido reportada em fevereiro deste ano, quando ocorreu a interrupção de noves meses de resultados positivos.





De acordo com o relatório, o recuo teve predomínio de taxas negativas entre as atividades industriais investigadas, sendo puxado, principalmente, pela queda de 8,4% na produção de veículos automotores, reboques e carrocerias.

O setor industrial está 16,5% abaixo do patamar recorde registrado em maio de 2011. Com o resultado de março, a indústria acumula no ano uma expansão de 4,4% e, nos últimos doze meses, queda de 3,1%.

Leia também:   PIB brasileiro cai 0,1% no 2º trimestre, diz IBGE

Para o gerente da pesquisa, André Macedo, a queda está relacionada à intensificação das medidas de combate à Covid-19.

“Esses dois resultados negativos têm como pano de fundo o próprio recrudescimento da pandemia. Isso faz com que haja maior restrição das pessoas, o que provoca a interrupção das jornadas de trabalho, paralisações de plantas industriais e atrapalha toda a cadeia produtiva, levando ao encarecimento e à falta de insumos para o processo produtivo. Isso afeta o processo de produção como um todo”, comenta o gerente no relatório.

Veja o histórico da produção industrial abaixo:

Gráfico IBGE 2021 5 5
Comparação anual

Em relação a março de 2020, a produção da indústria cresceu 10,5%, a taxa mais elevada desde junho de 2010 (11,2%). É o sétimo mês de alta consecutivo nesse tipo de comparação.





Leia também:   Ministério da Economia mantém previsão para PIB mas eleva inflação para 2021

Segundo Macedo, o resultado se deve à base de comparação baixa, uma vez que o setor recuou 3,9% em março de 2020, além do efeito-calendário, já que, neste ano, o mês de março teve um dia útil a mais do que no ano passado.

“No confronto interanual, a produção industrial mostra não somente uma taxa de crescimento de dois dígitos, mas também essa configuração de taxas positivas bastante disseminadas. Mas é preciso fazer essa ressalva: a base de comparação é baixa porque, em março de 2020, o setor industrial já estava sendo afetado por todo aquele movimento de isolamento social em função da pandemia de Covid-19. Muito desse crescimento mais amplo tem uma relação direta com isso”, afirma o gerente.

Leia também:   Projeção para inflação de 2021 chega a 8%, a 23ª alta seguida

Para ler a PIM na íntegra, acesse aqui.

Foto: Rob Lambert/Unsplash

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Mais 1000 vagas Liberadas! 🤩

Banner Popup 2