Prejuízo da Oi cai 44,2% em um ano, para R$ 3,51 bilhões no 1º tri

A receita líquida do período também diminui em 6,2% e o Ebitda de rotina outros 25,7%.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O prejuízo líquido da Oi (OIBR3; OIBR4) foi de R$ 3,51 bilhões no primeiro trimestre de 2021, de acordo com relatório divulgado na quarta-feira, 12. A empresa, que se encontra em recuperação judicial, diminuiu em 44,2% seu prejuízo na comparação anual, no mesmo período de 2020 o valor era R$ 6,28 bilhões. 

Já a receita líquida da Oi entre janeiro, fevereiro e março somou R$ 4,45 bilhões, uma queda de 6,2% em um ano, com destaque para a diminuição na receita B2B, que caiu 16,6% no período, para R$ 880 milhões. 





→ Veja também: Oi expande Fibra para SP e passa a atender 100% das capitais

Em relação ao indicador de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de rotina, o valor acumulado foi R$ 1,14 bilhão, perda de 25,7% frente ao montante de R$ 1,53 bilhão de um ano atrás.

A margem Ebitda de rotina perdeu 5,8 p.p. em um ano, para 25,7%, quando em 2020 estava em 31,5%. 

Leia também:   AES Brasil irá distribuir 50% dos lucros a partir de 2022

A dívida líquida da empresa subiu 38,8% nos três primeiros meses do ano, para R$ 25,17 bilhões, enquanto o caixa disponível também viu uma queda de 52% no seu valor, para R$ 3,03 bilhões. 

 





Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp