Inflação medida pelo IPCA sobe 0,86% em outubro, informa IBGE

IPCA-15, foto de Depositphotos

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de outubro avançou 0,86% na comparação com setembro, mostrou nesta sexta-feira, 6, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Invista no que nunca perde valor: conhecimento! Inscreva-se no Desafio Investidor Fundamentado, com a Helô Cruz (CFA) – e sem pagar por nada!

A leitura de outubro veio praticamente em linha com o esperado pelo mercado. Segundo a projeção do consenso da Bloomberg, o indicador para o período seria de alta de 0,84%.

Dessa forma, esse é o maior resultado para um mês de outubro desde 2002, quando atingiu expansão de 1,31%. No ano, o IPCA acumula alta de 2,22% e, em doze meses, de 3,92%. Já no mesmo período do ano passado, a variação havia sido de 0,10 ponto percentual.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em outubro. A maior variação (1,93%) e o maior impacto (0,39 p.p.) vieram, mais uma vez, de alimentação e bebidas, que desaceleraram em relação ao resultado de setembro (2,28%).

Isso ocorreu em função das altas menos intensas em alguns alimentos, como o arroz (13,36%) e o óleo de soja (17,44%), que no mês anterior haviam ficado em 17,98% e 27,54%, respectivamente.

“Todos esses itens têm contribuído para alta sustentada dos preços dos alimentos, que foram de longe o maior impacto no índice do mês”, afirma Pedro Kislanov, gerente da pesquisa do IBGE.

O IPCA é calculado pelo instituto com base em uma cesta básica de consumo típica das famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos, em dez regiões metropolitanas do Brasil, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Grande, São Luís, Aracaju e de Brasília.

Foto: Depositphotos

banner curso helo

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp