IGP-10 desacelera em junho, mas acumula alta de 36,9% em um ano

Neste mês o indicador ficou em 2,32% frente ao avanço de 3,24% em maio. No ano, o acumulado está em 15,31%.

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) registrou aumento de 2,32% em junho, desacelerando frente aos 3,24% do mês de maio, de acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgados nesta quarta-feira, 16.  

Com esse resultado, o índice acumula 15,31% de alta no ano e 36,94% de alta em 12 meses. De acordo com a FGV, um ano atrás, o IGP-10 registrava taxas de 1,55% no mês e de 7,18% em 12 meses.





Vale lembrar que o IGP-10 é uma variação do IGP-M, com a diferença de que os dias de referência do mês são de 11 do mês anterior a 10 do mês de divulgação. 

No mais, também trata-se de um índice composto, formado pelos Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) (com 60% de peso), Índice de Preços ao Consumidor (IPC) (30%) e Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) (10%). 

Em junho, todos os três tiveram altas. 

Composição do IGP-10

O IPA subiu 2,64% em junho, uma desaceleração frente aos 4,20% em maio. Já o IPC, que mede os valores do varejo, saiu de 0,35% em maio, para 0,72% em junho. 

“A inflação ao produtor apresentou desaceleração e contribuiu para o recuo do IGP, mesmo assim, o IPA segue pressionado pelo aumento dos preços de commodities importantes”, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços.





Os movimentos mais relevantes ocorreram nos itens aves (2,37% para 4,90%), café em grão (5,77% para 9,44%) e leite in natura (2,20% para 3,11%).

O recuo não foi mais intenso dado o aumento dos preços de energia e gasolina, que impulsionaram a inflação ao consumidor”, continua o coordenador. 

As variações foram de -1,03% para 3,16%, no caso da gasolina, e de 1,92% para 4,87% com a  tarifa de eletricidade residencial

Por fim, o INCC mais que dobrou de valor, de 1,02% no mês passado para 2,81% agora. 

“Na construção civil, reajustes na mão de obra também contribuíram para o avanço do INCC”, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços. Em serviços (0,94% para 1,18%) e mão de obra (0,04% para 3,37%). 

Leia também:   Mercado sobe projeção do IPCA pela 22ª semana seguida, aponta Boletim Focus

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Mais 1000 vagas Liberadas! 🤩

Banner Popup 2