img-tag

Ibovespa aos 128k pontos, novidades na reforma tributária, temporada de balanços e o que mais move o mercado

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Apesar da volatilidade, o Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira (B3), conseguiu reverter o movimento de queda visto na manhã desta terça-feira, 13, e encerrou o dia em alta de 0,45%, aos 128.167,74 pontos, com volume de R$ 27,9 bilhões.  

A virada do índice veio após a apresentação do parecer do deputado Celso Sabino (PSDB-PA), relator da segunda parte da reforma tributária, que propôs diversas alterações à proposta inicial enviada pelo governo. 





Os maiores destaques foram uma maior redução do imposto de renda de pessoas jurídicas (de 15% para 2,5%) e a manutenção da desoneração dos FIIs (fundos imobiliários), ante a proposta do ministério da Economia que previa uma alíquota de 15% sobre estes investimentos.  

Enquanto isso, a taxação dos dividendos em 20% deve permanecer inalterada. 

“A tributação de lucros e dividendos já está bem aceita, 20% todo mundo já assimilou. O mundo todo cobra. O mundo cobra 40%, tem gente que cobra 50% e o Brasil vai entrar e agora com 20%”, afirmou Sabino. 

Os mercados americanos recuaram devido à preocupação com a inflação após os dados do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) virem acima do esperado.  

Desse modo, o índice Dow Jones fechou em queda de 0,31%, a 34.888 pontos. 

S&P 500 recuou 0,35%, a 4.369 pontos. O Nasdaq caiu 0,38%, a 14.677 pontos, queda de 0,38%. 





Enquanto isso, o dólar comercial avançou 0,13%, negociado a R$ 5,1799 na venda.  

Já o dólar futuro para agosto subiu 0,07%, negociado a R$ 5,187 no after-market. 

O indicador de inflação dos Estados Unidos, CPI, apresentou um avanço de 0,9% em junho frente ao mês anterior, superando a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal (WSJ), que projetavam um crescimento de 0,5% no período em análise. 

O índice acabou ofuscando os bons resultados financeiros divulgados pelos bancos na abertura da temporada de balanços.  

O J.P Morgan registrou um salto de 155% no lucro do segundo trimestre deste ano apesar da piora nos resultados de trading, ajudado pela liberação de reservas para perdas com empréstimos.  

O Goldman Sachs também superou as estimativas, com lucro diluído por ação ordinária de US$ 15,02, em comparação com US$ 0,53 um ano antes. 

Agenda Econômica 

Nesta quarta-feira, 14, os investidores deverão continuar acompanhando os resultados corporativos vindos dos EUA, além dos indicadores de índice de preço ao produtor e o estoque de petróleo, além do livro bege, o relatório do Banco Central americano (Fed).  

Por aqui, é aguardado o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), que será divulgado às 9h00.  





Na China, também teremos diversos indicadores nesta semana, incluindo como as vendas do varejo, a Produção Industrial, a Balança Comercial e o Produto Interno Bruto (PIB). 

 Foto: Bolsa de Valores de São Paulo/Divulgação

Leia também:   Bradesco liquida R$ 810 milhões na 2ª rodada de aumento de capital da Compass

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais