Economia brasileira deve recuar 5,2% em 2020, prevê Cepal

Vista Geral da Praça dos Três Poderes em Brasília

A economia brasileira encolherá 5,2% neste ano, devido aos impactos financeiros gerados pela pandemia do novo coronavírus, revelou a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

De acordo com o órgão, vinculado à Organização das Nações Unidas (ONU), a América Latina sofrerá a maior recessão em décadas, com milhões de pessoas em situação de desemprego e pobreza.

O número divulgado pela Cepal está perto da previsão feita para a América Latina, cuja economia deverá contrair 5,3% em 2020, o que representa o pior desempenho desde que começaram os levantamentos no continente, em 1900.

Os principais impactos negativos para a região virão da queda no valor das matérias-primas, que dependem das exportações de muitos países, além da paralisação no setor de turismo.

Segundo a Cepal, os países mais afetados pela crise serão:

  • Venezuela (-18)
  • México (-6,5%)
  • Argentina (-6,5%)
  • Equador (-6,5%)
  • Nicarágua (-5,9%)
  • Brasil (-5,2%)
  • Chile (-4%)
  • Peru (-4%)
  • Uruguai (-4%)
  • Cuba (-3,7%)
  • Costa Rica (-3,6%)
  • Haiti (-3,1%)
  • El Salvador (-3%)
  • Bolívia (-3%)
  • Países do Caribe (-2,5%)
  • Guatemala (-1,3%)
  • Paraguai (-1,4%)
  • Panamá (-2%)
  • Colômbia (-2,6%)
  • Honduras (-2,8%)

A República Dominicana, de acordo com as projeções, será o único país da América Latina e do Caribe a não registrar recessão, com variação de 0% no Produto Interno Bruto (PIB).

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp