CVM recusa nova estrutura de IPO da Viveo

A operação seria relançada na próxima segunda-feira, mas dessa vez destinada exclusivamente para investidores profissionais

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O processo de abertura de capital da Viveo na Bolsa de Valores de São Paulo está dando o que falar. Após ter comunicado a suspensão de sua oferta pública inicial de ações por condições de mercado, a companhia tentou outro caminho para emplacar seu IPO, mas foi barrada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ontem, o portal Pipeline informou que a companhia conversou com um grupo de gestores locais que havia mostrado interesse na empresa. Dessa forma, eles sugeriram à Viveo que continuasse com o IPO, mas com outras condições.





A operação seria relançada na próxima segunda-feira, mas dessa vez destinada exclusivamente para investidores profissionais (Instrução CVM 476), que prevê esforços restritos de distribuição.

Leia também:   AstraZeneca registra US$ 1,56 bi de lucro no 1º trimestre

Um dos pontos alterados seria o valor captado na oferta. Em vez dos R$ 2 bilhões inicialmente pretendidos, a operação seria reduzida para R$ 1,2 bilhão.

De acordo com informações do portal, a gestora Dynamo deveria ancorar a oferta e ficaria com uma opção de compra das ações, de até R$ 800 milhões. Contudo, o regulador vetou essa estrutura.

Foto: Depositphotos

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp