BC da China reduz compulsórios e libera US$ 56,5 bilhões na economia

PBoC, foto de Reuters

O banco central da China informou nesta sexta-feira, 3, que vai reduzir compulsórios bancários pela segunda vez em menos de um mês. A estratégia faz parte de um estímulo econômico para frear os impactos gerados pela pandemia do novo coronavírus.

→ Leia também: Entenda os impactos do coronavírus na economia global

Segundo o PBoC, o corte dos compulsórios será de um ponto percentual e vale para pequenos e médios bancos comerciais e rurais, liberando 400 bilhões de yuans (equivalente a US$ 56,5 bilhões) em liquidez no sistema bancário.

“A deterioração da economia global deve ter um grande impacto na economia da China, o que exige que a política monetária da China seja ainda mais relaxada e mais flexível”, disse o economista-chefe da Founder Securities, Yan Se, à Reuters.

A redução ocorrerá em duas etapas, nos dias 15 de abril e 15 de maio, período depois do qual 4 mil bancos e empresas de leasing em operação na China terão de alocar 6% de seus depósitos para o PBoC, aponta o Estadão.

Além disso, o BC chinês também disse que vai reduzir a taxa de juros cobrada sobre excesso de reservas dos bancos, de 0,72% para 0,35%.

Foto: Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp