Arábia Saudita suspende importação de frango da JBS e outras 2 empresas

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Arábia Saudita, segundo maior comprador de carne de frango do Brasil, suspendeu as exportações de três frigoríficos brasileiros, que correspondem a onze unidades fabris — sete da JBS, três da Vibra Agroindustrial e uma da Agroaraçá.  

A decisão consta na lista da Saudi Food and Drug Authority (SFDA, na sigla em inglês), autoridade sanitária do governo saudita. Sem maiores detalhes, o texto  apresenta apenas quais são as plantas do Brasil que têm autorização para exportar para o país e quais estão suspensas. 





De acordo com a Reuters, o movimento da Arábia Saudita acontece num momento em que o país arábe busca ampliar a sua produção interna de carne de frango, em vista de se abastecer. Com isso, a medida de bloqueio brasileiro entra em vigor a partir do dia 23 de maio. 

O documento da SFDA, disponível em seu site, indica que duas das unidades suspensas são da JBS Aves, de Passo Fundo (RS) e de Montenegro (RS). Outras cinco são da Seara — em Brasília (DF), Campo Mourão (PR), Amparo (SP), Ipumirim (SC) e Caxias do Sul (RS). 

Com isso, o grupo JBS, que é uma das principais companhias de alimentos do mundo, fica fora deste mercado no segmento de aves.

Veja também: JBS compra Vivera, empresa europeia de proteína vegetal, por R$ 2,29 bi

Por outro lado, a concorrente BRF não teve nenhuma fábrica suspensa nesta atualização de habilitações da SFDA. Quatro de suas unidades permanecem ativas — em Capinzal (SC), Buriti Alegre (GO), Nova Mutum (MT) e Videira (SC) —, porém duas já estavam suspensas desde o ano passado: Dois Vizinhos (PR) e Francisco Beltrão (PR). 

Sendo assim, o mercado saudita permanece acessível apenas para a BRF e outras cinco empresas exportadoras menores, quando comparadas às gigantes do setor.





Posição do governo brasileiro 

O governo brasileiro recebeu a informação “com surpresa e consternação” e pretende levar o caso à Organização Mundial do Comércio (OMC) caso se comprove a imposição de barreira indevida, conforme nota conjunta dos ministérios da Agricultura e Relações Exteriores divulgada na quinta-feira, 06.

“Todas as vias bilaterais e multilaterais serão empregadas com vistas à pronta resolução da questão”, destacou o comunicado dos ministérios. Em vista da decisão unilateral, as autoridades buscam esclarecer o episódio e entender a motivação do país arábe. 

 Contudo, as suspensões acontecem na mesma semana em que a companhia saudita Almarai, uma das maiores do país, anunciou um investimento de 1,8 bilhão de dólares para dobrar sua produção de frango.

Cotação em tempo real 

A notícia pegou em cheio o setor frigorífico na bolsa de valores, nesta sexta-feira, 07. Pela manhã, a JBS (JBSS3) chegou a cair mais de 2%, virando para o positivo na parte da tarde. Ás 14:45, a empresa subia 0,16%. 

Leia também:   Hypera fecha acordo com Sanofi para aquisição de 12 marcas de medicamentos

Já a BRF (BRFS3), mesmo não sendo prejudicada pela medida saudita, sofreu na sua cotação. Também às 14:45 caia cerca de 1,14%. 

Frig 07 05

Acompanhe as cotações em tempo real pelo TradeMap Web

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp