AES Tietê alega que oferta da Eneva é hostil e busca assessores para avaliar negócio

AES Tietê alega que oferta da Eneva é hostil e busca assessores para avaliar negócio, foto de Reuters

A AES Tietê classificou a proposta apresentada pela Eneva de combinação de negócios como uma “oferta hostil”, ou seja, quando não é solicitada.

→ Leia também: Eneva propõe fusão com AES Tietê para “gigante do setor de geração”

Em comunicado ao mercado no último domingo, 8, a elétrica ainda disse que convocou uma reunião extraordinária de seu conselho de administração para a próxima sexta-feira, 13, “cuja pauta é definir a contratação de sua equipe de assessores, para posterior condução das ações necessárias”.

No dia 1° de março, a Eneva apresentou uma proposta de fusão com a AES Tietê. A operação envolveria pagamento aos acionistas da AES Tietê no valor de R$ 2,75 bilhões mais um adicional em ativos da Eneva.

“A proposta apresentada ao conselho de administração da AES Tietê visa a agregar os negócios das duas companhias, resultando na unificação das bases acionárias em uma companhia aberta listada no Novo Mercado da B3, com sólido portfólio de ativos, recursos complementares e potencial de se beneficiar de significativas sinergias operacionais e financeiras”

informou a Eneva em nota.

Por outro lado, a Eneva informou também no último domingo que enviou uma carta à AES Tietê “diante da ausência de contato” da empresa desde a apresentação da oferta.

Bolsa

Às 15h07, as units da AES Tietê e os papéis ordinários da Eneva caíam 8,84% e 6,98%, respectivamente. Acompanhe a cotação em tempo real com o TradeMap.

AES Tietê e Eneva, às 15h07, no TradeMap

Foto: Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp