O que são dividendos?

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A busca por ter melhores investimentos passa por um trabalho árduo de aprendizagem dos pontos mais importantes do mercado financeiro. Nesse caminho, você vai se deparar com o termo “dividendos” em muitas situações. 

Pois bem, a primeira coisa que você deve saber sobre o assunto é que os investidores que se arriscam no mercado de ações só o fazem por um motivo: ter maior retorno com seus investimentos do que aplicações mais seguras oferecem.





Esse retorno pode acontecer de duas maneiras:

❖ Com a valorização das ações da companhia na bolsa de valores;
❖ Pela distribuição dos lucros da empresa por meio do pagamento de proventos.

Proventos são diferentes formas de remuneração das empresas para seus acionistas. O mais comum dos proventos são os famosos dividendos. Fácil, não? 

Mas, calma, porque não acabou. Tem mais algumas explicações importantes que envolvem este universo. Vamos juntos até o final deste artigo que você vai aprender: 

  • Por que as empresas pagam dividendos? 
  • Quais são os principais tipos de dividendos;
  • As vantagens de investir em uma boa pagadora de dividendos;

Por que empresas pagam dividendos?

Empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo, B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), devem seguir a Lei das S/As de 1976, que regulamenta a participação de acionistas em companhias. 





De acordo com essa lei, “um dos direitos essenciais de qualquer acionista de uma companhia, seja ela aberta ou fechada, é o de participar dos lucros sociais, sob a forma de dividendos (art. 109, inciso I, da Lei das S.A.)”.

Sendo assim, empresas que tiverem lucro líquido devem distribuir uma porcentagem desse valor aos seus acionistas, sendo 25% o percentual mínimo de distribuição. 

Considerando que investidores que compram papéis de empresas na bolsa de valores se tornam seus acionistas, ainda que minoritários, eles têm direito aos lucros tanto quanto os majoritários. 

No final das contas, esse tipo de pagamento consegue atrair novos investidores e, consequentemente, valorizar as ações da companhia. Por outro lado, quem adquire esse tipo de ação também tem uma vantagem interessante. 

Afinal, receber parte dos lucros de uma empresa pode ser uma boa opção para gerar rentabilidade no longo prazo.

Leia também:   O que é inflação e como ela influencia meu bolso?

Mas, é importante lembrar que, mesmo que todos os acionistas tenham direito a receber tais juros, nem todos os dividendos são compartilhados de forma igual. Existe uma regra para isso e vamos explicá-la agora. 👇

Qual a diferença no pagamento de dividendos?

De forma geral, cada investidor recebe seus lucros de acordo com a quantidade de ações que possui. 

Por exemplo, eu tenho 10 papéis da Vale (VALE3) e a companhia vai distribuir 0,83 reais em dividendos por ação. Logo, eu vou receber 10 x 0,83, que dá R$ 8,30. 





Porém, existem empresas com duas classes de ações, os papéis preferenciais e os papéis ordinários, e isso influencia na hora do pagamento. 

→ Leia mais: O que são ações e quais os principais tipos?

As ações preferenciais (PN) fazem jus ao nome: o investidor que detém esses papéis será pago antes dos acionistas de ações ordinárias, com a garantia de ter um valor de dividendo fixado.  

Em contrapartida a este privilégio, acionistas preferenciais não possuem direito a voto no conselho administrativo da empresa, enquanto os investidores ordinários podem votar e ter um ganho variável de dividendos.

Quem ganha mais nesse esquema?

Digamos assim: é relativo. 🤷‍♀️ 

Mas não se assuste, vamos explicar! Veja só:

Arte Moni EXEMPLO DE PNs
Pagamento de dividendos por classe de ações


Com exemplo acima só nos cabe o seguinte acréscimo: os lucros de cada papel dependem do quanto cada empresa está disposta a pagar aos seus acionistas.

Quais são os principais tipos de dividendos

Até aqui ficou claro que quem compra ações têm direito ao lucro das empresas, certo? Também esclarecemos as diferenças em relação às classes de ações. Bom. Chegou o momento de saber de quais formas a empresa pode distribuir esse pagamento. 





O mais comum é o dividendo em dinheiro, mas também pode ser em novas ações ou em caráter especial. Mas, vamos por parte: 

❖ Dinheiro: é o exemplo que demos acima. A empresa estabelece um valor de retorno por papel, R$ 0,5 por exemplo, que será pago para todos os acionistas da bolsa de valores. 

❖ Novas ações: neste caso, a empresa utiliza parte de seu lucro para comprar mais ações e distribuir aos seus acionistas, ao invés de pagar o dividendo em dinheiro. Por exemplo, a cada 10 ações, a empresa concede mais uma para o investidor. 

❖ Especial: em situações específicas a empresa pode distribuir mais dividendos. Um exemplo é o aumento de caixa após algum negócio lucrativo ou mudanças da regulamentação tributária em cima do lucro. 

❖ Juros sobre Capital Próprio (JPC): funciona da mesma forma que o dividendo em dinheiro, porém com a vantagem de não cobrar imposto de renda. Neste caso, o tributo fica retido na fonte, mas a empresa também tem isenção – por isso, pode acontecer da companhia distribuir uma maior quantidade de lucros deste tipo.





As vantagens de investir em uma boa pagadora de dividendos

Embora seja bastante óbvio o motivo, vale destacar mesmo assim, caso você ainda tenha dúvidas a essa altura do texto. 

A distribuição dos lucros é uma via de mão dupla no caso dos dividendos. Isso porque, tanto a empresa quanto o investidor saem ganhando com a operação.

A companhia ganha com a fama de pagadora de dividendos, que atrai cada vez mais investidores e, consequentemente, eleva o preço dos seus papéis negociados na bolsas de valores.

Enquanto na outra ponta está você, investidor, que vê o seu dinheiro render com a aplicação financeira, além de obter mais renda com a distribuição dos lucros.

É fundamental destacar que, na hora de escolher as ações de empresas para construir uma boa carteira, é necessário considerar o pagamento de proventos. Para isso, vale entender um indicador muito importante, o dividend yield

Dividend Yield (rendimento de dividendo, em português)

É um indicador que mede a performance de empresas com base nos proventos pagos aos seus investidores. Dessa forma, você pode saber a porcentagem que a companhia retornou em lucros nos últimos meses.

→ Leia mais: Top Dividend Yield: quais são as empresas brasileiras que mais pagam dividendos?

Para calcular, basta dividir a quantidade de dividendos pagos durante um determinado tempo pelo preço do ativo antes da distribuição dos proventos. Por fim, multiplique o resultado por 100 e, voilà, aí está seu indicador.

Caso tenha achado tudo isso complicado, existe outra opção melhor: abrir o aplicativo do TradeMap, buscar na aba “ações” a empresa que te interessa, fazer scroll até a parte “proventos” e pronto. Lá você encontra dados dos últimos 12 meses e de dois anos. 

Separamos este vídeo aqui para você aprender direitinho como achar as informações no TradeMap e entender um pouquinho mais sobre dividendos. Só apertar o play ▶️

Leia também:   AES Brasil irá distribuir 50% dos lucros a partir de 2022

 

Caso você ainda não tenha o TradeMap no seu celular, sem problemas também, pode baixar agora mesmo: disponível para sistema Android e iOS. 📲💻

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp