Navegue:
Setores aéreo e de maquininhas lideram alta do Ibovespa, que acumula alta na semana

Setores aéreo e de maquininhas lideram alta do Ibovespa, que acumula alta na semana

CVC reverte perdas dos últimos pregões e lidera altas da sexta-feira. O setor de maquininhas se beneficia do balanço de Stone e sobe

Imagem ampliada de cotações da Bolsa de valores

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

Após um dia de perdas, as ações de empresas ligadas ao turismo apresentam desempenho positivo nesta sexta-feira (18), com CVC (CVCB3) crescendo 9,63% e liderando as altas do Ibovespa. Além dela, Gol (GOLL4) subia 5,07% e Azul (AZUL4) valorizava 3,09%. O segmento vem apresentando dias de volatilidade nas ações, de olho no mercado de petróleo.

O valor do barril da commodity variou de US$ 90 a quase US$ 140 num período de três semanas por causa da guerra na Ucrânia. Nos momentos de alta, as ações do setor de turismo sofriam porque o petróleo mais caro aumenta também o preço dos combustíveis usados pelas companhias aéreas, o que acaba aumentando os custos operacionais.

Hoje, porém, os preços parecem ter estabilizado na faixa dos US$ 106 por barril, o que trouxe fôlego renovado ao setor – o que ajudou o Ibovespa. O índice abriu o pregão em baixa, mas por volta das 13h15 (de Brasília) subia 0,79%, a 113.968 pontos.

Outro setor que despontava entre os bons desempenhos do dia era o de maquininhas de pagamento após os resultados positivos da Stone no quarto trimestre. A empresa teve aumento de 87% nas receitas, chegando a R$ 1,8 bilhões. Como resultado, Cielo (CIEL3) registrava uma subida de 7,20% e figurava entre maiores altas do Ibovespa.

Além da Cielo, os BDRs de Pagseguro (PAGS34) e Stone (STOC31) valorizavam 18,38% e 38,78% no índice BDRX na Bolsa brasileira, respectivamente. Enquanto isso, em Wall Street, os papéis da Stone disparavam 30% na Nasdaq.

Vale ressaltar que a Cielo, única das três que possui capital aberto na B3, tem visto seus papéis passarem por uma alta volatilidade desde o o ano passado, desvalorizando 22% desde março de 2021.

Veja mais:

Passado, presente e futuro do setor de maquininhas; o que esperar?

Para o sócio da Legend Investimentos, José Simão, as ações da Cielo apresentam um movimento de correção momentânea em relação às baixas recentes. Além disso, ele não vê um cenário otimista para essas empresas no futuro por conta da alta dos juros no Brasil e no mundo.

Quem ajuda o Ibovespa a ficar no azul são as empresas ligadas à commodities. 3R Petroleum (RRRP3) era a maior alta dentre o segmento, e crescia 3,66%. No ramo minerador, CSN Mineração (CMIN3) valorizava 4%.

A alta destas empresas acompanha o novo aumento no preço das matérias-primas que elas utilizam. O minério de ferro subiu na bolsa de Dalian, na China, e apresentou uma valorização de 3,54% no pregão da manhã. Agora, a commodity é negociada por 833,50 iuanes, o equivalente a US$ 130,97.

Balanços pressionam quedas

As empresas que divulgaram balanço na noite de quinta-feira (17) figuravam entre as principais quedas do pregão. Quem liderava a ponta de baixo do índice era a Fleury (FLRY3), que desvalorizava 3,50%.

A empresa registrou uma queda na margem de lucro no quarto trimestre de 2021. Além disso, o lucro líquido ajustado da Fleury somou R$ 66 milhões no quarto trimestre do ano passado, uma queda de 57,6% em relação a igual período do ano anterior.

Tanto o BTG Pactual Digital quanto a Genial Investimentos classificaram os resultados como “fracos”, ainda que a receita da companhia tenha crescido 9,7%, para R$ 1,017 bilhão, porque a margem Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 6,3 pontos percentuais, para 25,8%.

Depois da Fleury, a maior queda do dia era da B3 (B3SA3), que recuava 1,58%. A empresa também divulgou seu balanço na noite de quinta, e registrou um lucro líquido de R$ 1,2 bilhão, uma alta de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior, mas queda de 4,8% em comparação ao terceiro trimestre.

Em relatório divulgado nesta sexta, o UBS disse que o resultado veio 2% abaixo do que o banco estimava. A perda se deve principalmente ao aumento de despesas, que não era esperado.

Cenário internacional

As bolsas pelo mundo operam sem direção definida nesta sexta. Em Wall Street, o índice Nasdaq Composto subia 0,84%, o Dow Jones caía 0,34% e o S&P 500 operava com estabilidade.

Na Europa o movimento também era indefinido. O índice Euro Stoxx 50 crescia 0,55%, o DAX da Alemanha desvalorizava 0,43% e o FTSE 100, de Londres, apresentava leve alta de 0,11%.

Os investidores continuam a monitorar a situação da guerra entre Rússia e Ucrânia. Nesta sexta, o presidente dos EUA, Joe Biden, se reúne com Xi Jinping, presidente da China, para discutir o posicionamento do país asiático frente ao conflito.

Segundo declaração do secretário de estado dos Estados Unidos, Anthony Blinken, Biden deixará claro que a China será responsabilizada por qualquer apoio à guerra, e que poderá sofrer sanções econômicas.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: