Navegue:
Rússia x Ucrânia e PIB do 4º tri influenciarão negócios nos próximos dias; fique por dentro

Rússia x Ucrânia e PIB do 4º tri influenciarão negócios nos próximos dias; fique por dentro

Investidores ainda acompanham Boletim Focus e dados atualizados dos estoques de petróleo nos EUA

shutterstock_1016430565

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A semana foi encurtada pelo feriado de Carnaval, mas terá uma bateria de dados importantes para o Brasil e Estados Unidos nos próximos dias, que serão apresentados em meio ao pano de fundo da tensão provocada nos mercados pela invasão da Ucrânia pela Rússia e as sanções econômicas que se seguiram.

Na sexta-feira (4), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apresentará o PIB (Produto Interno Bruto) do quarto trimestre. O dado fecha o comportamento da atividade em 2021 e o detalhamento de dados de consumo das famílias e investimentos ajudará a calibrar as expectativas de analistas para a economia brasileira em 2022.

O IBC-Br, indicador do Banco Central (BC) que tenta antecipar o desempenho do PIB, apontou uma alta de 4,5% na atividade. Para 2022, com o forte aumento na taxa básica de juros (Selic) para conter a inflação, analistas ouvidos pelo Boletim Focus esperam uma expansão bem menor, de 0,3%.

Leia mais

Estoques de petróleo e inflação nos EUA

Em meio às preocupações com o conflito entre Rússia e Ucrânia e as sanções impostas por países do Ocidente para tentar conter o presidente russo, Vladimir Putin, os investidores acompanharão os dados sobre estoques de petróleo bruto atualizados, que serão informados pelos EUA amanhã.

A disparada na cotação da commodity, que é negociada acima dos US$ 105 o barril do tipo Brent, e seus impactos sobre a inflação global é uma das principais preocupações do mercado financeiro em torno do confronto entre os dois países. Nesta terça-feira, a IEA divulgou a liberação de 60 milhões de barris dos estoques de emergência.

O mercado estará de olho também em dados divulgados na sexta (5), quando os EUA informarão a taxa de desemprego do país em fevereiro. O número é acompanhado com atenção pois, além de controle da inflação, o outro objetivo da política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) é o pleno emprego.

As apostas de um aumento mais agressivo nos juros americanos na reunião deste mês, a primeira do novo ciclo de aperto nas taxas, se reduziram com a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Veja abaixo a agenda completa dos próximos dias. 

Quarta-feira

Às 7h, a Zona do Euro informa o CPI (índice de preços ao consumidor) de fevereiro.

Às 8h25, o Banco Central divulga o Boletim Focus, com projeções de analistas para juros, inflação, câmbio e PIB.

Às 10h15, saem os dados de emprego no setor privado nos Estados Unidos em fevereiro.

Às 12h30, os EUA informam os estoques de petróleo bruto acumulados até 25 de fevereiro.

Às 16h, o Federal Reserve divulga o Livro Bege.

Quinta-feira

Às 7h, saem os dados de vendas no varejo da Zona do Euro em janeiro.

Às 10h30, o Departamento de Trabalho americano informa os pedidos de auxílio desemprego atualizados até 25 de fevereiro.

Às 11h45, saem os números do PMI (índice de gerente de compras) dos EUA para serviços em fevereiro.

Sexta-feira

Às 9h, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulga os números do PIB (Produto Interno Bruto) do quarto trimestre.

Às 10h30, os Estados Unidos informam a taxa de desemprego do país em fevereiro.

Compartilhe:

Compartilhe: