Navegue:
Ibovespa sobe quase 1% no último pregão da semana, impulsionado por China e ações de mineradoras

Ibovespa sobe quase 1% no último pregão da semana, impulsionado por China e ações de mineradoras

Por volta de 13h15 (de Brasília), o principal índice da B3 tinha uma alta de 0,94%, aos 108.010 pontos

Celular com aplicativo TradeMap

Foto: João Tessari/TradeMap

Por:

Compartilhe:

Por:

O Ibovespa opera o último pregão da semana em alta, repercutindo a notícia de que a China irá realizar um corte na taxa de juros para impulsionar a economia. Além disso, assim como o visto ontem, o índice sobe apoiado principalmente por empresas de siderurgia e mineração.

Por volta de 13h15 (de Brasília), o principal índice da B3 tinha uma alta de 0,94%, aos 108.010 pontos. A Vale (VALE3), apesar de não ser a maior alta do dia, ajudava no desempenho do Ibovespa pelo peso de suas ações, que subia 2,13%.

No mesmo momento, CSN (CSNA3) tinha alta de 4,29% enquanto CSN Mineração (CMIN3) e Gerdau (GGBR4) subiam 4,05% e 2,99%, respectivamente. Para Leandro Petrokas, diretor de research e sócio da Quantzed, o setor sobe na esteira do anúncio do corte de juros na China.

O governo chinês anunciou que irá reduzir sua taxa de empréstimos de cinco anos de 4,60% para 4,45%, indicando estímulos à sua economia. Com isso, o setor imobiliário no gigante asiático fica aquecido, o que demanda a importação de metais como o aço, por exemplo.

A notícia também mexeu com o preço do minério no mercado global. Na Bolsa de Dalian, também na China, a tonelada da commodity teve uma valorização de 5,31% na comparação intradia. Agora, o produto é negociado a 842,50 iuanes, o equivalente a US$ 126.

Além das mineradoras, outras empresas que subiam forte no índice eram IRB (IRBR3), EcoRodovias (ECOR3) e Banco do Brasil (BBAS3) que se valorizavam 3,28%, 3,44% e 3,47%, nesta ordem.

GetNet (GETT11) sobe forte

Dentre as small caps, a Getnet, empresa de desenvolvimento e gestão de soluções de meios eletrônicos de pagamentos, via suas units (GETT11) subirem 24,38%, as ações preferenciais (GETT4) com alta de 25,84% e as ordinárias (GETT3) ganhavam 23,76%.

Na visão de Petrokas, a alta é uma repercussão do anúncio de que a empresa pretende fechar seu capital, apenas sete meses após o IPO. Na noite de quinta-feira (19), a companhia informou que o seu acionista controlador, a PagoNxt Merchant Solutions, subsidiária do Santander, comunicou a intenção de realizar uma oferta para adquirir a totalidade da companhia.

Leia a análise:

Getnet (GETT11) dispara 24% após pedir para sair da Bolsa; entenda a “tempestade perfeita” do setor

Com isso, a Getnet deixaria de ter suas ações listadas em bolsa, tanto na B3 quanto na Nasdaq, nos Estados Unidos.

A oferta da PagoNxt será pelo mesmo valor em que as ações eram cotadas quando a Getnet realizou seu IPO, em outubro de 2021, de R$ 2,36 por ação ordinária (GETT3) e R$ 4,72 por unit (GETT11) – valor 29,3% superior ao nível atual do papel.

A companhia irá convocar uma assembleia geral extraordinária para deliberar sobre a oferta e o cancelamento de registro de companhia aberta.

Maiores quedas

Nesta tarde, as ações que mais caíam na Bolsa brasileira não eram de um mesmo setor. Petz (PETZ3) recuava 7,37% e liderava a ponta negativa, seguida por Banco Pan (BPAN4), que perdia 4,58%, Méliuz (CASH3), que caía 4,37% e Alpargatas (ALPA4), que apontava em baixa de 3,81%.

A Petz, inclusive, vem caindo forte neste segundo trimestre. Desde abril, a empresa teve uma desvalorização de 57,42% nos seus papéis, passando de R$ 18,89 no primeiro dia de abril para os atuais R$ 12.

Bolsas internacionais

No exterior, os mercados pelo mundo operam sem uma direção única no último pregão da semana. Na Europa as bolsas sobem próximas do fechamento enquanto nos EUA elas caem. Em Wall Street, o S&P caía 0,80%, o Dow Jones recuava 0,68% e o Nasdaq perdia 1%.

Caso as quedas se sustentem até o final do pregão, será a sétima semana seguida de quedas em Nova York, fato que não ocorria desde a crise de 2008.

Na Europa, os investidores digerem alguns resultados macroeconômicos. Na Alemanha, a inflação ao produtor atingiu 33,5% no acumulado em 12 meses até abril, superando a taxa de 30,9% registrada em março. Enquanto isso, no Reino Unido as vendas no varejo cresceram 1,4% em abril ante março

No campo dos índices acionários, o FTSE 100, de Londres, subia 1,19% enquanto o DAX, da Alemanha, apontava alta de 0,72%. Já o índice Euro Stoxx 50, que reúne empresas de toda a Zona do Euro, tinha uma valorização de 0,73%.

Compartilhe:

Compartilhe: