Navegue:
Capitalização pode destravar valor significativo para Eletrobras (ELET3), vê Goldman Sachs

Capitalização pode destravar valor significativo para Eletrobras (ELET3), vê Goldman Sachs

Instituição financeira vê oportunidade de crescimento e otimização de estrutura de capital para a companhia

Eletrobras oferta

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

A capitalização poderia destravar um valor significativo para a Eletrobras, uma vez que a companhia operaria de forma mais semelhante aos seus pares privados, buscando um ganho maior de eficiência, afirmou o Goldman Sachs, em relatório.

Atualmente, o banco tem recomendação de compra tanto para as ações ordinárias como para as preferenciais, com preços-alvos de R$ 46 e R$ 51, respectivamente. No entanto, no cenário pós-capitalização, o Goldman avalia faixas de preços de R$ 65 a R$ 67,60 para os papéis ordinários e, para os preferenciais, entre R$ 71,8 a R$ 74,6.

Com o tempo, após a privatização da companhia, a instituição financeira vê oportunidade de crescimento e otimização de estrutura de capital para a Eletrobras, inclusive com a alavancagem da empresa podendo ficar bem abaixo da média do setor.

Em relatório, o banco ressalta que a proposta de capitalização no valor de R$ 25 bilhões ainda está pendente de regulamentação e pode enfrentar desafios. Se a aprovação final e a oferta de preços não puderem ser concluídos até o dia 12 de maio, a empresa precisaria atualizar a proposta, que teria que refletir os resultados do primeiro trimestre de 2022. Porém, por ser ano eleitoral, esse processo poderia atrasar e ir além de 2022.

Por outro lado, o Goldman afirma que existem algumas desvantagens no processo de privatização, como as renovações das concessões incluídas no processo, que deixariam a Eletrobras com 60% da capacidade de energia não contratados nos próximos anos, aumentando a exposição aos preços e adicionaria volatilidade.

Em cenário pós-capitalização, o banco calcula que a variação de R$ 10 por MWh (megawatt-hora) da capacidade renovada no preço da energia geraria o impacto positivo total de R$ 850 milhões no Ebitda (lucro de antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

Leia mais:
O que esperar para os próximos passos da privatização da Eletrobras (ELET6)?

É importante lembrar que, à medida que avançam as aprovações para capitalização, o foco do mercado se volta para a oferta de ações. Pouco mais de um ano após a proposta ter sido enviada ao Congresso pelo governo, o processo de aprovação política avançou sem grandes contratempos.

O próximo passo, agora, é a avaliação do modelo pelo Tribunal de Contas (TCU), onde devem ser decididos detalhes como o tamanho da oferta, por exemplo.

Compartilhe: