Navegue:
BR Partners irá conduzir capitalização da Eletrobras

BR Partners irá conduzir capitalização da Eletrobras

O banco, que estreou semana passada na B3, ganhou a licitação e fará a avaliação econômico financeira da estatal.

logo Eletrobras - Nadia Sussman - Bloomberg

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

O banco BR Partners (BRBI11) ganhou a licitação para fazer a avaliação da Eletrobras (ELET3; ELET6) em seu processo de capitalização. A avaliação econômico-financeira é um dos primeiros passos para que a estatal caminhe com sua privatização. 

Na última semana, a Câmara dos Deputados aprovou o parecer da MP que permite a saída da União do controle da empresa de energia elétrica. Atualmente, o governo tem cerca de 60% das ações da Eletrobras. Com a capitalização da empresa, esse percentual cairá para 45%.

Após a escolha do banco avalista, o governo pode dar sequência aos preparativos para a emissão de novas ações da companhia, prevista para o primeiro trimestre de 2022. É por meio destas novas ações que a participação da União na Eletrobras será diluída. 

A União não participará da Oferta Pública de Ações (OPA), diminuindo, assim, sua participação nos papéis ordinários da companhia. A capacidade de voto dos acionistas da Eletrobras será limitada a 10%, independentemente da posição acionária.

Essa é a terceira tentativa de privatizar a Eletrobras. A primeira vez foi ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso. 

Naquela época, a ideia era fazer uma privatização tradicional, vendendo as estatais do grupo (Furnas, Chesf e Eletronorte) separadamente. Mas não aconteceu. 

No governo Lula, a empresa saiu do Plano Nacional de Desestatização (PND) e somente na gestão Temer, uma nova MP chegou ao Congresso para tratar do assunto. MP esta que Bolsonaro usou como base para a privatização atual.

BR Partners 

Leia também: IPO da BR Partners será restrito e poderá movimentar R$ 517,5 mi

O banco BR Partners, fundado em 2009 por Ricardo Lacerda, Andrea Pinheiro e Jairo Loureiro, estreou na semana passada na bolsa de valores brasileira. 

Sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) somou R$ 400 milhões e após sua listagem, os papéis tiveram uma valorização de cerca de 30%.

*com informações de Estadão Conteúdo 

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp