Navegue:
Barato demais? Órama lista FIIs mais rentáveis que negociam com desconto

Barato demais? Órama lista FIIs mais rentáveis que negociam com desconto

Quanto mais alta a nota do FII em comparação aos demais, maior a potencial oportunidade de acordo com uma visão quantitativa, aponta a corretora

Gráfico que mede retorno dos fundos imobiliários

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A queda no ano de 0,55% do Ifix, índice que acompanha o desempenho dos fundos imobiliários listados na B3, também trouxe oportunidade de compra de alguns portfólios que estão com preços descontados na Bolsa e pagam rendimentos atrativos.

A Órama fez um ranking dos FIIs mais baratos em cada segmento, levando em consideração o preço sobre o valor patrimonial da cota (P/VP) e o dividend yield (que mede o rendimento considerando os dividendos distribuídos pelo fundo) dos últimos 12 meses.

Um múltiplo de P/VP abaixo de 1  indica que o fundo negocia abaixo do valor patrimonial da cota, isto é, está com o preço da cota na Bolsa descontado, abaixo do valor justo dos ativos que ele tem na carteira.

As notas ao final (score) são multiplicadas por 10, apenas para evitar o uso de números decimais pequenos e facilitar a comparação, explicou a Órama.

Quanto mais alta a nota do FII em comparação aos demais, maior a potencial oportunidade de acordo com uma visão quantitativa, aponta a corretora.

A lista de FIIs considera apenas os fundos com liquidez média diária acima de R$ 300 mil, a fim de mitigar impactos de distorções de preço e rentabilidade.

Atualmente, existem mais de 430 FIIs listados na B3 com valor de mercado de R$ 143 bilhões.

Veja abaixo o ranking e as informações dos fundos que ficaram em destaque em 1º lugar de cada segmento.

XPPR11 é destaque entre os FIIs de lajes corporativas

FIIs Lajes Corporativas PL (mai/22)  Liquidez Diária- Em R$  Dividend yield  P/VP Score
XP PROPERTIES (XPPR11)   R$ 565.410.376  R$  1.077.002,41 12,43% 0,62 2
REC RENDA IMOBILIÁRIA (RECT11)  R$  789.124.446  R$ 719.965,54 10,87% 0,6 1,82
GREEN TOWERS (GTWR11)   R$ 1.174.713.672  R$ 637.928,40 12,06% 0,73 1,65
BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND (BRCR11)  R$  2.703.973.474  R$  1.935.949,78 9,53% 0,59 1,61
AUTONOMY EDIFÍCIOS CORPORATIVOS (AIEC11)   R$ 489.073.625  R$ 722.162,21 11,29% 0,75 1,5

O XP Properties FII tem como objetivo investir em imóveis corporativos, localizados nas cidades de São Paulo e Barueri.

No mês de junho, o fundo distribuiu R$ 0,35 por cota, que corresponde a um dividend yield anualizado de 8,4%, segundo a XP, gestora da carteira. O resultado ficou abaixo dos R$ 0,45 por cota que o fundo distribuiu em maio.

A taxa de vacância física da carteira estava, em junho, em 46%, devido à dificuldade para locações principalmente na região de Alphaville. A carteira tem 40% da sociedade de propósito específico (SPE),  que é proprietária do edifício FL Plaza, localizado ao lado da estação Faria Lima do metrô na cidade de São Paulo. Esse edifício representa 56% da receita imobiliária do XPPR11.

O imóvel está na fase final para a entrega e em estágio bastante avançado de negociação para locação de 10 andares, mas tal processo foi suspenso pela contraparte em decorrência da baixa ocupação de seus escritórios, apontou a XP em relatório de junho.

RELG11 é destaque entre FIIs de logística

FIIs Logística PL (mai/22) Liquidez Diária Dividend yield P/VP Score
REC LOGÍSTICA (RELG11)  R$  160.923.032  R$ 319.535,91 12,61% 0,62 2,02
BLUEMACAW LOGÍSTICA (BLMG11)  R$  360.918.215  R$ 781.712,42 13,16% 0,83 1,59
NEWPORT LOGÍSTICA (NEWL11)  R$  237.060.611  R$ 378.030,65 11,77% 0,8 1,47
RBR LOG (RBRL11)  R$  717.331.281  R$ 730.523,16 9,97% 0,79 1,25
PÁTRIA LOGÍSTICA (PATL11)  R$  489.268.515  R$  1.242.998,88 9,22% 0,76 1,21

O fundo REC Logística (RELG11) investe em galpões logísticos localizados nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro. Em junho, o fundo contava com cinco ativos na carteira, sendo o com maior participação (48,8%) o REC Log Cotia, localizado em Cotia, próximo à cidade de São Paulo.

A taxa de vacância era de 2,7% e cerca de 41% dos contratos têm vencimento em 2022.

Em junho, o fundo distribuiu um rendimento de  R$ 0,9757 por cota e tem pago um dividendo mensal médio de R$ 0,82 por cota neste ano.

HSML11 é destaque entre FIIs de shopping centers

FIIs Shopping center PL (mai/22) Liquidez Diária Dividend yield P/VP Score
HSI MALLS (HSML11)  R$  1.470.237.699  R$  2.027.342,35 8,69% 0,84 1,03
HEDGE BRASIL SHOPPING (HGBS11)  R$  2.165.192.006  R$  1.526.380,92 7,35% 0,8 0,92
VINCI SHOPPING CENTERS (VISC11)  R$  2.037.764.034  R$  2.208.401,50 7,79% 0,88 0,89
LEGATUS SHOPPINGS (LASC11)  R$  282.692.671  R$ 434.894,36 7,13% 0,83 0,86
XP MALLS (XPML11)  R$  1.855.193.521  R$  3.403.360,03 7,88% 0,94 0,84

O fundo HSI MALLS (HSML11) conta com sete shopping centers na carteira, que totalizam uma área bruta locável de 191.449 m², localizados nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Alagoas e Acre. Os shopping centers Metrô Tucuruvi e Pátio Maceió respondiam, em junho, por 50% da receita operacional líquida (NOI) dos ativos em carteira.

Em 22 de junho, o fundo adquiriu o Shopping Uberaba. O ativo detinha administração própria e a transição para a Saphyr, administradora exclusiva dos ativos do portfólio, já está ocorrendo e o resultado do shopping impactará o fundo a partir de agosto, informou a HSI, gestora do fundo, no relatório gerencial de junho.

A receita operacional líquida (NOI) dos ativos em carteira cresceu 12% em junho em relação à 2019, já superando os níveis pré-pandemia. Com isso, o fundo aumentou a distribuição de dividendos em junho de R$ 0,62 para  R$ 0,65 por cota, projetando um pagamento de dividendos entre R$ 0,64 e R$ 0,66 por cota para este ano.

A carteira estava com uma taxa de ocupação nos empreendimentos de 95,1% e taxa de inadimplência de 2,4%.

TORD11 é destaque entre os fundos híbridos

FIIs Híbridos PL (mai/22) Liquidez Diária Dividend yield P/VP Score
TORDESILHAS EI (TORD11)  R$  500.070.556  R$ 682.822,38 12,47% 0,62 2,01
SANTANDER RENDA DE ALUGUÉIS (SARE11)  R$  911.210.974  R$  1.116.633,14 10,70% 0,71 1,5
RIZA ARCTIUM REAL ESTATE (ARCT11)  R$  324.578.304  R$  2.352.521,94 16,07% 1,09 1,48
TG ATIVO REAL (TGAR11)  R$  1.420.685.727  R$  3.171.783,37 13,29% 0,93 1,43
RIO BRAVO RENDA VAREJO (RBVA11)  R$  1.193.288.764  R$ 840.718,51 12,49% 0,89 1,4

O fundo Tordesilhas (TORD11) investe em títulos de dívida imobiliária (CRIs), que representavam 19,6% da carteira em maio; fundos imobiliários (42,6%) e empreendimentos imobiliários (37,7%).

Entre os fundos imobiliários que o portfólio investe listados em Bolsa estão: o fundo de fundos DVFF11; SRVD11, de empreendimentos compartilhados voltados para o setor turístico (multipropriedade); e o XBXO11, de shopping center.

Além disso, o fundo é proprietário de empreendimentos multipropriedade voltados para o setor turístico como o Kawana Residence e Resort do Lago, em Caldas Novas (GO), Ondas Praia Resort, em Porto Seguro (BA), e o condo-hotel Motto by Hilton, em São Paulo (SP).

Cerca de 49% dos imóveis do fundo eram performados, já construídos.

O fundo pagou um dividendo de R$ 0,17 por cota em junho e distribuiu uma média de R$ 0,10 de dividendo mensal por cota neste ano.

MORE11 é destaque entre fundos de fundos

Fundo de fundos PL (mai/22) Liquidez Diária Dividend yield P/VP Score
MORE REAL ESTATE FOF (MORE11)  R$  200.604.052  R$ 524.598,74 12,60% 0,76 1,66
XP SELECTION (XPSF11)  R$  375.228.449  R$ 837.068,29 11,72% 0,82 1,43
BRASIL PLURAL ABSOLUTO (BPFF11)  R$  349.434.722  R$ 425.934,89 11,57% 0,83 1,4
BLUEMACAW RENDA+ FOF (BLMR11)  R$  211.636.911  R$ 606.509,62 11,99% 0,87 1,38
MOGNO FOF (MGFF11)  R$  687.311.836  R$  1.018.325,90 11,01% 0,8 1,37

O fundo More Real Estate (MORE11) investe em outros fundos imobiliários. Em maio, os FIIs de lajes corporativas e de papel representavam cerca da metade da carteira, com participação de 23,53% e 24,55% respectivamente.

O fundo pagou um rendimento médio de R$ 0,70 por cota neste ano.

URPR11 é destaque entre os FIIs de recebíveis

FII de Recebíveis PL (mai/22) Liquidez Diária Dividend Yield P/VP Score
URCA PRIME RENDA (URPR11)  R$  574.027.635  R$  4.357.294,74 19,25% 1,08 1,78
VERSALHES RECEBÍVEIS (VSLH11)  R$  309.775.483  R$  1.197.446,84 16,07% 0,9 1,78
HECTARE CE (HCTR11)  R$  2.671.651.053  R$  9.987.436,77 16,67%  0,96 1,74
RIO BRAVO CRÉDITO IMOBILIÁRIO (RBHG11) HIGH GRADE  R$  166.795.155  R$ 334.838,28 15,13% 0,91 1,66
CARTESIA RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS (CACR11)  R$  156.931.955  R$ 300.039,62 16,18% 1 1,61

O fundo imobiliário Urca Prime Renda (URPR11) compra Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) pulverizados de empreendimentos imobiliários residenciais (loteamentos, prédios e casas) e recebíveis imobiliários residenciais.

O pipeline atual de investimentos futuros está em R$576 milhões. Do total da carteira, as maiores concentrações eram em títulos de dívida imobiliários atrelados a loteamentos (46%) e 44% de multipriedades. Cerca de 90% dos papéis eram atrelados ao IPCA.

O fundo pagou um rendimento de R$ 1,85 por cota em maio e distribuiu um dividendo mensal médio de R$ 1,80 neste ano.

⇨ Acompanhe seus ganhos e gastos e cuide melhor do seu dinheiro. Baixe o GranaMap!

Compartilhe: