Navegue:
Acordo de Localiza (RENT3) com Brookfield dá pista sobre ganhos em fusão com Unidas (LCAM3)

Acordo de Localiza (RENT3) com Brookfield dá pista sobre ganhos em fusão com Unidas (LCAM3)

Operação é mais um passo no processo de fusão, que deve acontecer no segundo semestre, dizem analistas

Carros estacionados

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

O acordo que a Localiza (RENT3) e a Unidas (LCAM3) assinaram com a Brookfield, seguindo a imposição de “remédios” pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para a fusão das duas locadoras de veículos, representa um avanço no processo de combinação de negócios e permite mensurar sinergias vindas da operação, segundo analistas.

Analistas do BTG Pactual afirmam, em relatório distribuído nesta segunda-feira (13), que o acordo abre espaço para uma reavaliação das ações da Localiza. Em dia de queda generalizada dos papéis do Ibovespa, o papel da locadora de veículos era negociado em baixa de 4,39% por volta das 12h30, a R$ 49,50. Os da Unidas, por sua vez, caíam 3,98%, a R$ 22,22.

Ainda que os termos do acordo já tivessem circulado por meio de rumores no mercado na semana passada, o anúncio é positivo, segundo o BTG, pois permite que os investidores incorporem as sinergias com a Unidas no preço da ação da Localiza. Na estimativa do banco, que admite ser conservadora, as sinergias podem somar R$ 4 bilhões.

Para o Goldman Sachs, em relatório também publicado hoje, as sinergias podem criar entre 10% e 35% de valor adicional para a nova companhia.

“Ao todo, mesmo que já estivesse no radar, vemos o anúncio do acordo como positivo para a Localiza, ajudando a acelerar a fusão e dando mais clareza sobre potenciais sinergias”, diz o BTG.

“No geral, consideramos que o acordo para a venda de ativos com a Brookfield é estrategicamente positivo, pois é um dos passos exigidos pela autoridade brasileira antitruste para aprovar a potencial fusão entre Localiza e Unidas”, afirma o Goldman.

⇨ Quer conferir quais são as recomendações de analistas para as empresas da Bolsa? Inscreva-se no TradeMap!

O acordo assinado com a Brookfield Asset Management, anunciado pela Localiza na manhã desta terça-feira, prevê a venda de certos ativos das operações de aluguel de veículos e de seminovos da Unidas, incluindo 49 mil carros, por R$ 3,57 bilhões – o que corresponde a cerca de R$ 72,9 mil por unidade.

Os ativos vendidos, de acordo com o Goldman, equivalem a cerca de 30% do valor de mercado da Unidas e a 9% do montante referente à Localiza, além de corresponderem a aproximadamente 63% da frota da divisão de aluguel de veículos da Unidas no primeiro trimestre. Além disso, aponta o banco, os carros estão sendo vendidos com um prêmio médio de 17% sobre seu valor contábil, de cerca de R$ 62,4 mil por veículo.

Nesse sentido, a Ativa Research também considera o acordo positivo, uma vez que, além de liberar as companhias para iniciarem o processo de reorganização societária, fusão e captura de sinergias, foi negociado a um valor interessante.

Para os analistas do BTG, a responsável pela operação dos ativos deverá ser a Ouro Verde, empresa especializada em gestão de frotas corporativas adquirida pela Brookfield em 2019.

A Brookfield é um fundo de investimentos canadense com cerca de R$ 40 bilhões em ativos sob gestão no Brasil, com operações nos setores de infraestrutura, energias renováveis, imóveis, recursos sustentáveis e private equity.

Próximos passos

Vale ressaltar que o acordo anunciado é apenas um passo para a aprovação da fusão pelo Cade. O órgão ainda precisa aprovar o comprador e a transação, enquanto as companhias devem executar a combinação dos negócios e finalizar uma reestruturação corporativa das subsidiárias da Unidas.

A expectativa dos analistas do Inter Research é que a venda seja aprovada sem ressalvas, e que o processo de fusão seja concretizado no segundo semestre deste ano.

Considerando que o Cade tem 30 dias para aprovar o comprador e a transação, a expectativa do BTG é que a fusão seja concluída no terceiro trimestre.

Recomendações

Depois do anúncio, o BTG, o Goldman e o Inter reiteraram suas recomendações de compra para a ação da Localiza, com preços-alvo de R$ 75, R$ 64,50 e R$ 71, respectivamente.

De uma maneira geral, o mercado parece otimista com o papel. De acordo com dados da Refinitiv disponíveis no TradeMap, de 13 instituições financeiras consultadas, dez recomendam a compra do papel, enquanto duas indicam a manutenção do ativo em carteira e uma, a venda.

A mediana de preços-alvo dos analistas é de R$ 73, o que corresponde a alta de 47% sobre o valor atual da ação.

Gráficos com análise de especialistas sobre as ações da Localiza
Fonte: TradeMap

Compartilhe:

Compartilhe: