Navegue:
Petrobras (PETR4) ajuda e governo vende concessões de petróleo em Sépia e Atapu

Petrobras (PETR4) ajuda e governo vende concessões de petróleo em Sépia e Atapu

Petrobras fez ofertas pelos dois campos, mas teve de exercer direito de preferência em um deles para garantir participação

Petrobras Foto Andre Motta de Souza Agencia Petrobras

Foto: André Motta de Souza / Agência Petrobras

Por:

Compartilhe:

Por:

O governo federal vendeu, por R$ 11,1 bilhões, reservas de petróleo nas áreas de Atapu e Sépia em um leilão ocorrido mais cedo. Os dois campos receberam propostas da Petrobras, que deve pagar R$ 4,2 bilhões deste total. Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a exploração das duas áreas permitirá elevar a produção brasileira de petróleo em 12% nos próximos cinco anos.

O leilão foi feito sob o regime de partilha de produção. Neste caso, o valor que as empresas precisam pagar para explorar as jazidas é fixo, e ganha a disputa quem aceita dividir uma parcela maior da produção com o governo federal. Os porcentuais mínimos de partilha eram de 5,89% para Atapu e 15,02% para Sépia.

O campo de Atapu teve uma única oferta, vinda de um consórcio formado por Petrobras, TotalEnergies e Shell. A estatal será a operadora do campo, com uma fatia de 52,5%, enquanto as outras duas empresas terão participações de 22,5% e 25,0%, respectivamente. Elas se propuseram a dividir 31,68% da produção com o governo.

O campo de Sépia recebeu duas propostas. A oferta derrotada veio da Petrobras, que queria operar o campo sozinha e se propôs a partilhar com o governo uma parcela menor da produção do que o consórcio formado por QP Brasil, Petronas e TotalEnergies. A estatal, no entanto, exerceu direito de preferência para garantir uma participação de 30% em Sépia.

Com isso, TotalEnergies ficou com fatia de 28% no campo, enquanto QP Brasil e Petronas ficaram com 21% cada. As empresas vão dividir 37,43% da produção com o governo. A Petrobras, na oferta perdedora, havia proposto compartilhar 30,30%.

As ações da Petrobras operavam em queda. Por volta das 14h20, a ação ordinária (PETR3) recuava 1,97%, para R$ 30,94), enquanto a preferencial caía 2,16%, para R$ 29,05.

Compartilhe:

Compartilhe: