Navegue:
Serviços surpreendem e fecham 2021 com alta de 10,9%

Serviços surpreendem e fecham 2021 com alta de 10,9%

Setor supera patamar pré-pandemia; em dezembro, quatro de cinco segmentos apresentaram alta

servicos
Por:

Compartilhe:

Por:

Os serviços surpreenderam e cresceram 1,4% em dezembro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (10) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O avanço foi o dobro do estimado por analistas consultados pela Broadcast, da Agência Estado, que previam alta de 0,7%.

Com o desempenho do último mês do ano, o setor encerrou 2021 com alta de 10,9%, superando inclusive o patamar de volume de vendas pré-pandemia, de fevereiro de 2020. Em todo o ano de 2020, o recuo foi de 7,8%.

A expansão do ano passado foi a maior desde o início da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços, em 2012. Esta é a segunda vez consecutiva que o setor vem melhor do que a expectativa de analistas. Em novembro, a expansão foi de 2,4%.

Leia mais 

Em dezembro, a área alcançou o maior patamar desde agosto de 2015, e registrou alta em quatro dos cinco segmentos acompanhados pelo IBGE.

O maior impacto positivo foi o do segmento de transportes, com alta de 1,8%. Esse grupo está quase 10% acima do patamar pré-pandemia. Outros destaques foram os serviços profissionais, administrativos e complementares (+2,6%) e outros serviços (+1,4%).

A única taxa negativa do mês passado foi a de serviços de informação e comunicação.

“A reabertura da economia está turbinando setores que antes sofreram muito, como é o caso de turismo, que cresceu 3,5% no mês e 21,1% em 2021”, apontou André Perfeito, economista-chefe da Necton. “Este fenômeno deve ser observado em outras cadeias sensíveis à reabertura da economia após o avanço da vacinação.”

Ao longo de 2021, as atividades que mais se destacaram no ano foram transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (+15,1%) e informação e comunicação (+9,4%). Os demais avanços vieram de serviços profissionais, administrativos e complementares (+7,3%), serviços prestados às famílias (+18,2%) e outros serviços (+5%).

O que diz o IBGE

“Nos primeiros meses de 2020, o setor de serviços foi duramente afetado em função da necessidade de isolamento social e do fechamento dos estabelecimentos que prestavam serviços de caráter presencial”, afirmou o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, em material de divulgação.

“Por outro lado, a pandemia trouxe oportunidades de negócios para serviços voltados às empresas, como os de tecnologia da informação, transporte de cargas, armazenagem, logística de transporte e serviços financeiros auxiliares, que tiveram ganhos mais expressivos e compensaram as perdas dos serviços de caráter presencial”, contextualiza.

O que é a PMS

A Pesquisa Mensal de Serviços é realizada mensalmente pelo IBGE, a partir da receita bruta de empresas do setor que empregam 20 ou mais pessoas. A série histórica começa em janeiro de 2012.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: