Tesouro Direto reduz custo de Spread

Tesouro Direto

O Tesouro Direto, programa de venda de títulos públicos do Tesouro Nacional, alterou em abril os custos do Tesouro Selic, um dos investimentos mais conservadores. A diferença do preço de compra e venda do papel, chamado de “spread”, caiu de 0,04% para 0,01% ao ano. Dessa forma, o produto ficou mais atrativo e vantajoso do que a poupança.

No jornal Folha de S.Paulo, o gerente de relacionamento institucional do Tesouro Direto, Paulo Marques, afirma que essa diferença ajuda evitar prejuízos aos investidores e também ao governo por possíveis oscilações por taxas de juros.

O Tesouro Selic 2025 é uma alternativa para quem aplica em investimentos de curto prazo, por ter liquidez e melhor remuneração ante a poupança, de acordo com o portal de notícias G1.

O investidor recebe a variação da taxa Selic – taxa básica de juros –, atualmente em 6,5% ao ano, mantida desde março de 2018, segundo informações do Banco Central.

Por que a mudança?

Para os investidores o papel não era rentável quando havia resgate em até seis meses, já que o valor de venda é menor em comparação à compra do título.

Acontece que quem resgatava o papel durante esse período registrava perda, já que a caderneta de poupança não cobra nenhuma taxa.

Por isso, por meio de uma nota, o Tesouro Direto divulgou a mudança na taxa:

“Essa alteração é parte do contínuo processo de aprimoramentos no Tesouro Direto e
terá como resultado a redução dos custos de aplicação para o investidor e, consequentemente, o aumento de sua rentabilidade líquida”.

Qual rende mais?

Segundo matéria publicada no jornal O Estado de S.Paulo, no caderno de Economia e Negócios, a poupança rende 70% da taxa Selic, mas não há custo, diferente do título público, que é tributado pela tabela de Imposto de Renda (IR), ou seja, o lucro é taxado pela alíquota de 22,5% durante os seis primeiros meses de aplicação.

Além do mais, a Bolsa de Valores de São Paulo cobra uma taxa de custódia de 0,25% ao
ano sobre o investimento.

No entanto, especialistas afirmam que o título público ainda é mais rentável do que a caderneta de poupança, que só é remunerada uma vez ao mês, na data do aniversário. Enquanto o Tesouro Selic rende 100% da taxa básica de juros.

Veja o exemplo no gráfico abaixo:

Marcos Piellusch (Estadão)

Escrever um comentário