Stone (STOC31) cresce, mas aumento de despesas pesa sobre resultado do 3º tri

Empresa registrou forte crescimento em clientes e em receita no período

Stone Divulgacao
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

O lucro líquido ajustado da Stone no terceiro trimestre diminuiu 53,9% em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 132,7 milhões, refletindo o aumento nas despesas da empresa ao longo do período.

O número desconsidera ajustes no valor de ativos da companhia – entre eles uma perda contábil de R$ 1,34 bilhão nos investimentos da Stone no Banco Inter. Sem este ajuste, a companhia registrou prejuízo de R$ 1,26 bilhão, ante lucro no terceiro trimestre de 2020.

A Stone registrou aumento de 57,3% na receita do terceiro trimestre, para R$ 1,47 bilhão, e triplicou o ritmo de crescimento líquido da base de clientes em relação ao terceiro trimestre do ano passado, para 293,8 mil. A base total de clientes da Stone dobrou na mesma comparação, para 1,38 milhão

Leia também:   Latam apresenta plano de recuperação judicial; Azul (AZUL4) comenta sobre proposta

As despesas da companhia, no entanto, também aumentaram. O principal custo, com os serviços prestados, subiu 2,5 vezes no terceiro trimestre em relação a um ano antes, para R$ 525,6 milhões, e a despesa financeira líquida aumentou mais de cinco vezes, para R$ 330,7 milhões.

A Stone afirmou que este crescimento nos gastos resulta da estratégia da companhia de elevar significativamente o nível de investimento nas operações.

“Estes investimentos incluem expansão de hub, investimentos em novas soluções (bancárias, seguros, crédito, software), marketing, tecnologia, na TAG (nosso negócio de registros), entre outros. Estes investimentos, combinados com uma taxa de juros (CDI) maior no Brasil, que elevou a nossa despesa financeira, teve um impacto negativo sobre nosso resultado final”, acrescentou.

A Stone disse que vê espaço para crescimento na base de clientes e para aumentar a receita por comerciante ao longo do tempo.

Leia também:   Vale (VALE3) informa renúncia do conselheiro José Coelho

No caso dos clientes da Linx, a empresa estima que, em base anualizada, haja R$ 350 bilhões em gross merchandise value (GMV, indicador sobre o volume de transações que ocorrem numa plataforma de comércio eletrônico) e que apenas 0,3% disso é monetizado.

“Vemos grande espaço para crescer organicamente nas verticais atuais, expandir a cobertura vertical por meio de novos investimentos, ajudar nossos clientes com serviços financeiros integrados e com produtos que os ajudem a vender mais por múltiplos canais”, disse a empresa.

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Tags:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Não vá ainda...

Baixe o nosso App!

O maior hub do mercado financeiro
na palma da sua mão!

Popup out planos