Senado aprova texto-base da reforma da Previdência, mas destaque do abono salarial não agrada

Marcos Oliveira/Agência Senado

O plenário do Senado aprovou o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência nesta terça-feira, 1, em primeiro turno. No entanto, a conclusão da votação foi adiada para hoje após um destaque ser aprovado – o que derrubou novas regras mais rígidas sobre o abono salarial e desidratou a economia prevista em R$ 76,4 bilhões em dez anos. As informações são da Reuters Brasil.

A versão apresentada pelo relator Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi aprovado por 56 votos favoráveis contra 19. Depois do texto principal, os senadores votaram em quatro dos dez destaques.

Um dos destaques, apresentado pela bancada do Cidadania, foi aprovado e, dessa forma, excluiu da reforma da Previdência mudanças sobre o abono salarial que reduziriam o limite da renda mensal para ter acesso ao benefício. Após a aprovação, que representou uma derrota para o governo, o plenário do Senado suspendeu a sessão e retomará hoje, por volta das 11h.

A proposta aprovada na Câmara dos Deputados previa que o pagamento do benefício seria restringido no valor de um salário mínimo até R$ 1.364,43 por mês. Com isso, após a aprovação no plenário ontem, as regras atuais ficam valendo, ou seja, quem recebe até dois salários mínimos tem direito ao repasse do governo federal.

→ Leia também: CCJ aprova relatório da reforma da Previdência

Segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, “o governo tem que se organizar, os líderes, especialmente o líder do governo com outros parlamentares que apoiaram o texto-base, que deu 56 votos, poderiam estar aqui para acompanhar as outras votações dos destaques. Os senadores saíram e eu não podia interromper a votação”.

“Para evitar uma nova análise da Câmara dos Deputados, que atrasaria a promulgação, foram feitas apenas supressões e emendas de redação”, aponta a Agência Senado.

O mercado amanheceu em queda após essa notícia. Até às 11h, o Índice Bovespa caía mais de 1,50%

Ibovespa, às 11h15, no TradeMap

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Escrever um comentário