Petróleo dispara após Irã atacar base norte-americana no Iraque

Petróleo, foto de Reuters

Na noite de ontem, 7, o Irã disparou mísseis contra duas bases utilizadas por soldados norte-americanos no Iraque. A medida, segundo a Bloomberg, parece ser cuidadosamente “calibrada” para apaziguar a crescente revolta em território iraniano.

Em meio à repercussão do ataque, o barril de petróleo WTI subiu com a tensão no Golfo Pérsico. Às 22h08, no horário de Brasília, o Brent para março crescia a 3,94%, para US$ 70,96. Já o WTI para fevereiro, na New York Mercantile Exchange (Nymex), avançava 3,72%, para US$ 65,03.

De acordo com fontes do governo dos Estados Unidos, os ataques ocorreram em múltiplas localidades, incluindo a base de Ain al-Assad, que fica no oeste do Iraque.

A TV estatal do Irã Press TV disse que a Guarda Revolucionária iraniana reivindicou os ataques com mísseis terra-terra contra a base, localizada na Província de Anbar, informou a Agência Estado. A mídia local falou que os mísseis foram uma resposta ao assassinato do general Qassim Suleimani em Bagdá, na sexta-feira passada (3).

Na sequência dos ataques, o governo do Irã emitiu comunicado exigindo que os EUA retirem suas tropas da região.

“Está claro que esses mísseis foram lançados do Irã e tiveram como alvo pelo menos duas bases militares iraquianas que hospedam militares e coalizões dos EUA em al-Asad e Irbil”

disse um comunicado do Pentágono.

O que acontece agora?

Para a Bloomberg, tanto o Irã quanto Donald Trump agora têm a porta aberta para diminuir as tensões após a resposta da República Islâmica sobre a morte de Soleimani. Javad Zarif, ministro de Relações Exteriores do Irã, disse que o país concluiu “medidas proporcionais” e que não está em busca de uma potencial guerra.

Ibovespa

Às 10h20, o Índice Bovespa operava em leve alta de 0,46% no pregão desta quarta-feira, 8, em meio a cautela com tensão no Oriente Médio. Acompanhe a cotação em tempo real com o TradeMap.

Ibovespa, às 10h20, no TradeMap
Ibovespa, às 10h20, no TradeMap
googleplay
appstore

Foto: Reuters

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp

Assine a nossa Newsletter!