img-tag

O que é um Fundo de Investimento?

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Para quem começou a investir há pouco tempo sabe que o mercado financeiro é cheio de segmentos. Isso pode criar uma série de dúvidas aos investidores e, dessa forma, deixá-los confusos quanto a que tipo de investimento aplicar seu dinheiro. Antes de mais nada, precisamos deixar claro que, quando o assunto é rentabilidade, não existe somente as populares ações negociadas em bolsas de valores, mas sim outros diversos títulos em que você pode negociar seu capital.

Uma opção para aplicar seu dinheiro é o fundo de investimento. Você sabe o que trata essa aplicação? Caso não entenda, nós vamos te explicar! Vamos lá?





Um fundo de investimento é uma comunhão de recursos constituído sob a forma de condomínio, com o objetivo de aplicar em diversos ativos financeiros e buscar retorno e geração de valor aos investidores. Basicamente, estamos falando de uma estrutura formal de um investimento conjunto, coletivo.

Para seguirmos com a explicação, precisamos, primeiramente, deixar claro o que são as cotas de um fundo.

Leia também:   O que posso fazer para proteger minha carteira?
Cotas

O patrimônio líquido, que se dá pelo total de ativos subtraído das obrigações, é dividido em cotas. Uma cota nada mais é que a parte mínima de um fundo, e é emitida para os investidores proporcionalmente ao capital aportado.

Podemos fazer, de forma simples, uma analogia com condomínios prediais, conforme o exemplo abaixo:

Imagine que João, um morador da região de São Paulo, queira construir novos andares em um prédio e tenha disponível R$ 1.000 para efetuar essa operação. No dia da construção, o prédio em questão tem valor de mercado avaliado em R$ 20.000 e 40 andares. Dessa forma, cada novo andar (nesse dia específico) custaria R$500 e, portanto, João construirá dois andares. Após a construção, o prédio passará a ter 42 andares e seu valor de mercado será R$ 21.000.





Verificamos que o valor por andar continua o mesmo após a construção. Suponha agora que, no dia seguinte à construção dos dois andares do novo morador, um shopping seja construído na mesma região e, por isso, o preço do prédio tenha dobrado, de R$ 21.000 para R$ 42.000. Dado que o número de andares não mudou, o valor por apartamento aumentou de R$ 500 para R$ 1.000. Portanto, se João resolver vender seus dois apartamentos, irá lucrar R$1.000 (2 andares x R$1.000 – 2 andares x R$500).

Leia também:   Planejamento: pilar fundamental da educação financeira

É esse processo que acontece quando um investidor aplica dinheiro em um fundo de investimento. Podemos falar que o valor de mercado do prédio representa o patrimônio líquido do fundo, o número de andares corresponde a quantidade de cotas e o preço por andar faz referência ao valor por cota. É importante ressaltar que a entrada de um novo morador (novo cotista) não altera a posição de outro morador (cotista antigo).

Uma das vantagens de se investir em um fundo de investimento é que a gestão do patrimônio fica sob a responsabilidade de um agente profissional. A ideia é que os investidores que não tenham conhecimento, informação ou tempo para acompanhar o mercado, possam “terceirizar” esse serviço para obter resultados satisfatórios. O custo desse serviço é repassado ao investidor sob a forma de taxas sobre o capital aplicado.

Leia também:   O que posso fazer para proteger minha carteira?
Em geral, os fundos possuem duas taxas principais:

A taxa de administração, que é aplicada sobre todo valor investido e serve para sustentar a operação do fundo de investimento, e a taxa de performance, aplicada apenas sobre o resultado do fundo que exceder seu benchmark (índice de referência), e funciona como uma forma de comissão ao resultado positivo do fundo (existente apenas em fundos de gestão ativa).

Um fundo de investimento é formado pela composição de alguns agentes, sendo os principais:
  • Gestor: agente responsável pela estratégia de alocação dos recursos do fundo.
  • Administrador: responsável pelos serviços relacionados direto ou indiretamente ao funcionamento e à manutenção do fundo, como contratação de terceiros, convocação de assembleia, comunicação com cotistas, etc.
  • Custodiante: encarregado de guardar os ativos do fundo.
Composição de um fundo de investimento
Composição de um fundo de investimento

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais