O que é a taxa Selic e como ela interfere nos seus investimentos?

O que é a Selic - foto de Getty Images

Essa semana foi bem agitada, principalmente devido à reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central na última quarta-feira, 5. A autarquia monetária decidiu cortar a taxa básica de juros, a Selic, em 0,25% – passando de 4,5% para 4,25% ao ano.

Mas o que isso quer dizer, afinal? Muitas pessoas ficam com dúvidas sobre essa alteração da Selic e, por isso, vamos falar aqui de que forma isso pode impactar diretamente no seu bolso! Vamos lá?

O que é a Selic?

Antes de mais nada, temos que partir do princípio do que é a Selic, já que ela sempre é mencionada em algum noticiário ou matéria voltada ao mercado financeiro.

Caso você não esteja familiarizado com essa tal de Selic, ela nada mais é do que a taxa básica de juros do Brasil, ou seja, o indicador mais importante para a economia brasileira.

Dessa forma, a taxa Selic, que vem de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, influencia as demais taxas de juros aqui no Brasil, como as que são cobradas em empréstimos, financiamentos e, até mesmo, sobre aplicações financeiras.

Sim! Isso mesmo que você acabou de ler, caro investidor! Alguns títulos do Tesouro Direto, por exemplo, são atreladas à Selic. Por isso, quando o Copom altera seu valor, isso logo se aplica a esses tipos de investimentos.

Leia também: O que é o Tesouro Direto?

Selic - Infográfico desenvolvido por TradeMap
Infográfico desenvolvido por TradeMap
E por que a taxa básica de juros existe?

Em 1979, a economia brasileira enfrentava um cenário inflacionário e, por isso, a taxa Selic foi criada com o objetivo de conter a inflação, uma vez que sua mudança, determinada pelo Banco Central, está diretamente relacionada ao controle do aumento de preço de variados produtos.

O infográfico acima mostra que o BC tem duas frentes quando se trata da Selic: aumentá-la ou baixá-la (além de poder mantê-la no mesmo patamar também).

Bom, então a Selic é importante?

Se você chegou até aqui ainda com essa pergunta na cabeça, já vamos adiantar: sim! Isso porque, até hoje, a Selic é usada como referência para a economia brasileira, já que ela serve como uma ferramenta para controlar a inflação do país, que, por sua vez, é um indicador da nossa situação econômica.

Viu? Um ponto liga o outro! Por isso, caso você também tenha dúvidas sobre inflação, clique aqui para saber mais!

Como ela é definida?

A cada 45 dias, o Copom realiza uma reunião para decidir como ficará a taxa Selic. A decisão é baseada em vários indicadores financeiros do país, sendo que, ao fim do encontro, a taxa pode sofrer alguma alteração, tanto para mais quanto para menos, assim como também ficar estável.

Quais investimentos são afetados pela Selic?

No começo deste artigo mencionamos que a Selic também reflete em algumas aplicações financeiras. Olha só:

  • Tesouro Selic
  • Caderneta de poupança
  • Investimentos de renda fixa
Tesouro Selic

Com o nome intuitivo, o Tesouro Selic é um título público e sua rentabilidade está atrelada à Selic (até aqui nenhuma surpresa, não é mesmo?). Por isso, quando a taxa sofre algum ajuste, tanto para cima quanto para baixo, a rentabilidade deste produto será diretamente afetada.

Caderneta de poupança

Pois é! A Selic também mexe na rentabilidade da poupança! Este investimento, que já tem fama de render pouco, está atrelado à taxa, seguindo tais regras:

Se a Selic estiver igual ou superior a 8,5%, a poupança renderá 0,5% ao mês + TR (Taxa Referencial, hoje zerada)

Caso a Selic esteja em abaixo de 8,5% ao ano, sua rentabilidade será de 70% da taxa básica de juros + TR

Isso quer dizer que, agora com a taxa básica de juros abaixo de 8,5%, a rentabilidade da poupança está baixíssima!

Investimentos em renda fixa

Alterações na Selic impactam no CDI (Certificado de Depósito Interbancário), um dos índices de rentabilidade mais utilizados em renda fixa, como nos casos de CDBs, LCIs, LCAs e LCs.

De uma forma básica, o CDI é o nome dado aos empréstimos que os bancos fazem entre si com o objetivo de fechar o caixa do dia no azul. A medida leva em conta a determinação do Banco Central de que todas instituições bancárias devem encerrar a operação diária com mais dinheiro entrando do que saindo.

Assim, caso um banco não feche o dia com saldo positivo, ele precisa fazer um empréstimo de outro banco para cumprir o regulamento com o Bacen.

Por isso, a relação entre a Selic e o CDI é explicada de tal maneira:

  • Se a taxa Selic for muito maior que o CDI, os bancos podem preferir emprestar dinheiro ao governo, e não ao outros bancos, já que assim terão uma rentabilidade maior;
  • Por outro lado, se a Taxa CDI estiver muito acima da taxa Selic, a remuneração dos títulos que usam essa taxa sobe, o que também não é interessante para os bancos.

Fonte: Nubank

E qual é a consequência do corte dela para os investimentos?

Uma vez que os títulos atrelados à Selic rendem menos, é natural uma mudança ao mercado acionário ou outros investimentos mais rentáveis – levando em conta que o investidor procura ter uma rentabilidade maior sobre o capital aplicado.

Por isso, recomendamos que antes de fazer qualquer tipo de investimento é necessário estudar e analisar o melhor produto para você! Aqui no blog do TradeMap existem vários artigos voltados ao mercado financeiro que podem te ajudar com isso.

Além do mais, você também pode usar o TradeMap para fazer diversos tipos de análises e efetuar todas operações pela mesma plataforma.

 

Torne-se um Premium e faça parte do maior hub do mercado financeiro! 😊

Foto: Getty Images

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp