Fed corta juros nos EUA; Copom também divulga corte de juros dentro do esperado

Banco Central
Houve corte?

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, em inglês) cortou a taxa de juros nos Estados Unidos em 0,25%, para a faixa entre 1,75% e 2%. O Comitê de Politica monetária do Brasil, acompanhou a decisão cortando a taxa básica de juros do país em 0,5% para 5,5% ao ano, dentro do esperado pelo mercado.

“Embora os gastos das famílias tenham aumentado em um ritmo forte, o investimento nas empresas e as exportações enfraqueceram”, disse o comitê em comunicado. As autoridades mantiveram sua promessa de “agir conforme apropriado para sustentar a expansão” da atividade.

O banco central dos Estados Unidos também cortou os juros sobre reservas excedentes (IOER, em inglês), em 0,30%.

Três presidentes regionais foram contra a redução na taxa de juros no país.

O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a criticar a autoridade monetária após a divulgação do corte nas taxas de juros em sua conta no Twitter, afirmando que o Fed e o chairman Jerome Powell não tinham “coragem, sentido ou visão”.

Donald Trump - EUA
Tweet de Donald Trump
Expectativa

O Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, e o Federal Reserve (banco central americano) decidirão nesta “super quarta” se cortarão ou não a taxa básica de juros de ambos os países. A expectativa do mercado é que haja uma redução de 0,5% na Selic, para 5,5% ao ano, ante os 6 p.p. atuais. Já nos Estados Unidos, o mercado estima um corte de 0,25 ponto percentual, para a faixa entre 1,75% e 2%.

O primeiro evento ocorre às 15h, quando o Fed anuncia sua nova taxa. No Brasil, o Copom divulgará a decisão a partir das 18h, depois do fechamento do mercado. Além do mais, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, sinalizará o espaço para cortes adicionais, como aponta o Seu Dinheiro.

No dia 31 de julho, os dois órgãos reduziram as taxas de juros. Veja mais.

Economistas consultados pelo Projeções Broadcast avaliam que a inflação deve seguir bastante confortável. Segundo o levantamento de dados, de 53 estimativas coletadas, 31 indicam o juro em 5% em dezembro, 12 preveem a Selic em 5,25% e 7 apontam em 4,75%.

Na última segunda, 16, o relatório Focus, do Banco Central, indicou a taxa básica de juros a 5% até o final deste e o próximo ano, com IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 3,45% e 3,80%.

Enquanto isso, alguns integrantes do Fed avaliam o consumo forte nos EUA, assim como o desemprego baixo. Por outro, membros se preocupam com a economia global. O chefe de estado Donald Trump utiliza suas redes sociais para apelar uma redução nas taxas. Já o presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, passa mensagens contraditórias a cada discurso, segundo avaliação do InfoMoney.

Foto: Rodrigo Oliveira

Escrever um comentário