Fed corta juros nos EUA; Copom também divulga corte de juros dentro do esperado

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Houve corte?

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, em inglês) cortou a taxa de juros nos Estados Unidos em 0,25%, para a faixa entre 1,75% e 2%. O Comitê de Politica monetária do Brasil, acompanhou a decisão cortando a taxa básica de juros do país em 0,5% para 5,5% ao ano, dentro do esperado pelo mercado.

“Embora os gastos das famílias tenham aumentado em um ritmo forte, o investimento nas empresas e as exportações enfraqueceram”, disse o comitê em comunicado. As autoridades mantiveram sua promessa de “agir conforme apropriado para sustentar a expansão” da atividade.





O banco central dos Estados Unidos também cortou os juros sobre reservas excedentes (IOER, em inglês), em 0,30%.

Leia também:   Itaú Unibanco deixa a administração da XP; ações serão transferidas para a XPart

Três presidentes regionais foram contra a redução na taxa de juros no país.

O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a criticar a autoridade monetária após a divulgação do corte nas taxas de juros em sua conta no Twitter, afirmando que o Fed e o chairman Jerome Powell não tinham “coragem, sentido ou visão”.

Donald Trump - EUA
Tweet de Donald Trump
Expectativa

O Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, e o Federal Reserve (banco central americano) decidirão nesta “super quarta” se cortarão ou não a taxa básica de juros de ambos os países. A expectativa do mercado é que haja uma redução de 0,5% na Selic, para 5,5% ao ano, ante os 6 p.p. atuais. Já nos Estados Unidos, o mercado estima um corte de 0,25 ponto percentual, para a faixa entre 1,75% e 2%.

Leia também:   Tatá Werneck é nova embaixadora do Next

O primeiro evento ocorre às 15h, quando o Fed anuncia sua nova taxa. No Brasil, o Copom divulgará a decisão a partir das 18h, depois do fechamento do mercado. Além do mais, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, sinalizará o espaço para cortes adicionais, como aponta o Seu Dinheiro.





No dia 31 de julho, os dois órgãos reduziram as taxas de juros. Veja mais.

Economistas consultados pelo Projeções Broadcast avaliam que a inflação deve seguir bastante confortável. Segundo o levantamento de dados, de 53 estimativas coletadas, 31 indicam o juro em 5% em dezembro, 12 preveem a Selic em 5,25% e 7 apontam em 4,75%.

Na última segunda, 16, o relatório Focus, do Banco Central, indicou a taxa básica de juros a 5% até o final deste e o próximo ano, com IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 3,45% e 3,80%.

Leia também:   Netflix aumentará o preço de seus planos de assinatura no Brasil

Enquanto isso, alguns integrantes do Fed avaliam o consumo forte nos EUA, assim como o desemprego baixo. Por outro, membros se preocupam com a economia global. O chefe de estado Donald Trump utiliza suas redes sociais para apelar uma redução nas taxas. Já o presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, passa mensagens contraditórias a cada discurso, segundo avaliação do InfoMoney.

Foto: Rodrigo Oliveira

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp